O Meu CoraĆ§Ć£o Desce

O meu coraĆ§Ć£o desce,
Um balĆ£o apagado…
_ Melhor fora que ardesse,
Nas trevas, incendiado.
Na bruma fastidienta.
Como um caixĆ£o Ć  cova…
_ Porque antes nĆ£o rebenta
De dor violenta e nova?!
Que apego ainda o sustƩm?
Ɓtomo miserando…
_ Se o esmagasse o trem
Dum comboio arquejando!…

O inane, vil despojo
Da alma egoĆ­sta e fraca!
Trouxesse-o o mar de rojo,
Levasse-o a ressaca.