Textos sobre Gente de Rajneesh

3 resultados
Textos de gente de Rajneesh. Leia este e outros textos de Rajneesh em Poetris.

Amor e Intimidade

Toda a gente tem medo da intimidade ‚ÄĒ ter ou n√£o ter consci√™ncia desse medo √© outra hist√≥ria. A intimidade significa expor-se perante um estranho ‚ÄĒ e todos n√≥s somos estranhos; ningu√©m conhece ningu√©m. Somos mesmo estranhos a n√≥s pr√≥prios, porque n√£o sabemos quem somos.
A intimidade aproxima-o de um estranho. Tem de deixar cair todas as suas defesas; s√≥ assim a intimidade √© poss√≠vel. E o seu medo √© que se deixar cair todas as suas defesas, todas as suas m√°scaras, quem sabe o que o estranho lhe poder√° fazer. Todos n√≥s andamos a esconder mil e uma coisas, n√£o s√≥ dos outros mas de n√≥s pr√≥prios, porque fomos criados por uma humanidade doente com toda a esp√©cie de repress√Ķes, inibi√ß√Ķes e tabus. E o medo √© que, com algu√©m que seja um estranho ‚ÄĒ e n√£o importa se se viveu com a pessoa durante trinta ou quarenta anos; a estranheza nunca desaparece ‚ÄĒ, parece mais seguro manter uma ligeira defesa, uma pequena dist√Ęncia, porque algu√©m se poder√° aproveitar das suas fraquezas, da sua fragilidade, da sua vulnerabilidade.
Toda a gente tem medo da intimidade. O problema torna-se mais complicado porque toda a gente quer intimidade. Toda a gente quer intimidade porque,

Continue lendo…

Indigno do Amor

N√£o se pode amar uma pessoa que se detesta a si pr√≥pria. E nesta terra desgra√ßada, quase toda a gente se detesta a si pr√≥pria, toda a gente se condena a si pr√≥pria. Como poder√° voc√™ amar uma pessoa que se condena a si pr√≥pria? Essa pessoa n√£o acreditar√° em si. Ela n√£o se pode amar a si pr√≥pria ‚ÄĒ como √© que voc√™ se atreve? A pessoa n√£o se pode amar a si pr√≥pria ‚ÄĒ como pode voc√™ am√°-la? Suspeitar√° de que se trata de uma brincadeira, de um embuste, de uma rasteira. Suspeitar√° que voc√™ tenta engan√°-la em nome do amor. Ser√° muito cautelosa, vigilante, e a sua suspeita envenenar√° o seu ser. Quando voc√™ ama uma pessoa que se detesta a si pr√≥pria, est√° a tentar destruir o conceito que ela faz de si pr√≥pria. E ningu√©m deixa facilmente cair o conceito que faz de si mesmo; esse conceito √© a sua identidade. Enfrent√°-lo-√°, provar-lhe-√° de que ela tem raz√£o e voc√™ n√£o.

√Č o que est√° a acontecer a todos os relacionamentos de amor ‚ÄĒ ou antes a todos os assim-chamados relacionamentos de amor. Acontece entre marido e mulher, entre amante e amado, entre homem e mulher.

Continue lendo…

Ouvir a Voz Interior

N√£o preste aten√ß√£o ao que os outros dizem, ao que eles lhe dizem para ser. Escute sempre a sua voz interior, aquilo que gostaria de ser; de outro modo desperdi√ßar√° toda a sua vida. A sua m√£e quer que seja engenheiro, o seu pai quer que seja m√©dico e voc√™ quer ser poeta. Que fazer? √Č evidente que a m√£e tem raz√£o, porque ser engenheiro √© mais interessante do ponto de vista econ√≥mico e financeiro. O pai tamb√©m tem raz√£o; ser m√©dico √© uma boa mercadoria, tem um valor de mercado. Um poeta? Enlouqueceste? √Čs doido? Os poetas s√£o uma ra√ßa maldita. Ningu√©m os quer. N√£o h√° necessidade nenhuma deles; o mundo pode existir sem poesia ‚ÄĒ n√£o haver√° qualquer problema l√° por n√£o haver poesia. O mundo n√£o pode existir sem engenheiros; o mundo precisa de engenheiros. Quando se √© necess√°rio, tem-se um valor. Quando n√£o se √© necess√°rio, n√£o se tem qualquer valor.

Mas se você quiser ser poeta, seja poeta. Poderá ser um pedinte Рóptimo. Poderá não vir a ser muito rico, mas não se preocupe Рporque de outro modo poderá vir a ser um grande engenheiro e poderá ganhar muito dinheiro, mas nunca se sentirá realizado.

Continue lendo…