A Eterna CriaĆ§Ć£o da Literatura

A literatura Ć© um acontecimento completamente Ć  parte. Ɖ um acontecimento que, de cada vez, recomeƧa de alto a baixo. Ɖ um acontecimento sem hĆ”bitos. No caso de um bom marceneiro, ou mesmo de um bom buscador de ouro, trata-se de refazer o que se fazia antes dele e – se for possĆ­vel – contribuir com o seu pequeno aperfeiƧoamento para a forma da mesa ou para o oco da bateia. Mas um jovem escritor nĆ£o deve absolutamente ameliorar Proust, ou aperfeiƧoar Claudel, completar Gide ou fazer um pequeno retoque a ValĆ©ry. NĆ£o, de modo algum. Cabe-lhe escrever como se nem Gide, nem Proust tivessem existido nunca.