Textos sobre Ternura de Vergílio Ferreira

2 resultados
Textos de ternura de Vergílio Ferreira. Leia este e outros textos de Vergílio Ferreira em Poetris.

Todo o Presente Espera pelo Passado para nos Comover

H√° v√°ria gente que n√£o gosta de evocar o passado. Uns por energia, disciplina pr√°tica e arremesso. Outros por ideologia progressista, visto que todo o passado √© reaccion√°rio. Outros por superficialidade ou secura de pau. Outros por falta de tempo, que todo ele √© preciso para acudir ao presente e o que sobra, ao futuro. Como eu tenho pena deles todos. Porque o passado √© a ternura e a legenda, o absoluto e a m√ļsica, a irrealidade sem nada a acotovelar-nos. E um aceno doce de melancolia a fazer-nos sinais por sobre tudo. Tanta hora tenho gasto na simples evoca√ß√£o. Todo o presente espera pelo passado para nos comover. H√° a filtragem do tempo para purificar esse presente at√© √† fluidez imposs√≠vel, √† sublima√ß√£o do encantamento, √† incorrupt√≠vel verdade que nele se oculta e √© a sua √ļnica raz√£o de ser. O presente √© cheio de urg√™ncias mas ele que espere. Ha tanto que ser feliz na impossibilidade de ser feliz. Sobretudo quando ao futuro j√° se lhe toca com a m√£o. H√° tanto que ter vida ainda, quando j√° se a n√£o tem…

A Primeira Palavra que em Toda a Minha Vida me Esgotou o Ser

Uma palavra. Disse-a. Amo-te – uma palavra breve. Quantos milh√Ķes de palavras eu disse durante a vida. E ouvi. E pensei. Tudo se desfez. Palavras sem inteira significa√ß√£o em si, o professor devia ter raz√£o. Palavras que remetiam umas para as outras e se encostavam umas √†s outras para se aguentarem na sua rede a√©rea de sons. Mas houve uma palavra – meu Deus. Uma palavra que eu disse e repercutiu em ti, palavra cheia, quente de sangue, palavra vinda das v√≠sceras, da minha vida inteira, do universo que nela se conglomerava, palavra total. Todas as outras palavras estavam a mais e dispensavam-se e eram uma articula√ß√£o rid√≠cula de sons e mobilizavam apenas a parte mec√Ęnica de mim, a parte fr√°gil e v√£. Palavra absoluta no entendimento profundo do meu olhar no teu, palavra infinita como o verbo divino. Recordo-a agora – onde est√°? Como se desfez? Ou n√£o desfez mas se alterou e resfriou e absorveu apenas a frac√ß√£o de mim onde estava a ternura triste, o conforto humilde, a compaix√£o. N√£o haver√° ent√£o uma palavra que perdure e me exprima todo para a vida inteira? E n√£o deixe de mim um recanto oculto que n√£o venha √† sua chamada e vibre nela desde os mais finos filamentos de si?

Continue lendo…