Textos sobre √ďdio de Cesare Pavese

2 resultados
Textos de ódio de Cesare Pavese. Leia este e outros textos de Cesare Pavese em Poetris.

A Ira Nunca √© S√ļbita

A ira nunca √© s√ļbita. Nasce de um longo roer precedente, que ulcerou o esp√≠rito e nele acumulou a for√ßa reactiva necess√°ria para a explos√£o. Daqui resulta que um belo acesso de c√≥lera n√£o √©, de forma alguma, sinal de uma √≠ndole franca e directa. √Č, pelo contr√°rio, revela√ß√£o involunt√°ria de uma tend√™ncia para nutrir dentro de si o rancor – isto √©, de um temperamento fechado, invejoso, e de um complexo de inferioridade.
O conselho de ¬ęestar em guarda contra quem nunca se irrita¬Ľ, significa, portanto, que – todos os homens, acumulando inevitavelmente √≥dio – conv√©m ter especial cuidado com os que nunca se traem por acessos de ira. Quanto a ti, n√£o fazes mal em ser insicero no teu remoer interior, mas em te tra√≠res na explos√£o.

O Erro de Desconhecer o Passado

Uma obra n√£o resolve nada, assim como o trabalho de uma gera√ß√£o inteira n√£o resolve nada. Os filhos – o amanh√£ – recome√ßam sempre e ignoram alegremente os pais, o j√° feito. √Č mais aceit√°vel o √≥dio, a revolta contra o passado do que esta beata ignor√Ęncia. O que havia de bom nas √©pocas antigas era a sua constitui√ß√£o gra√ßas √† qual se olhava sempre para o passado. Este o segredo da sua inesgot√°vel plenitude. Porque a riqueza de uma obra – de uma gera√ß√£o – √© sempre determinada pela quantidade de passado que cont√©m.