CitaçÔes sobre Fungo

3 resultados
Frases sobre fungo, poemas sobre fungo e outras citaçÔes sobre fungo para ler e compartilhar. Leia as melhores citaçÔes em Poetris.

Os Deuses Reclinados

… Por todos os lados as estĂĄtuas de Buda, de Lorde Buda… As severas, verticais, carcomidas estĂĄtuas, com um dourado de resplendor animal, com uma dissolução como se o ar as desgastasse… Crescem-lhes nas faces, nas pregas das tĂșnicas, nos cotovelos, nos umbigos, na boca e no sorriso pequenas mĂĄculas: fungos, porosidades, vestĂ­gios excrementĂ­cios da selva… Ou entĂŁo as jacentes, as imensas jacentes, as estĂĄtuas de quarenta metros de pedra, de granito areento, pĂĄlidas, estendidas entre as sussurrantes frondes, inesperadas, surgindo de qualquer canto da selva, de qualquer plataforma circundante… Adormecidas ou nĂŁo adormecidas, estĂŁo ali hĂĄ cem anos, mil anos, mil vezes mil anos… Mas sĂŁo suaves, com uma conhecida ambiguidade ultraterrena, aspirando a ficar e a ir-se embora… E aquele sorriso de suavĂ­ssima pedra, aquela majestade imponderĂĄvel, mas feita de pedra dura, perpĂ©tua, para quem sorriem, para quem, sobre a terra sangrenta?… Passaram as camponesas que fugiam, os homens do incĂȘndio, os guerreiros mascarados, os falsos sacerdotes, os turistas devoradores…

E manteve-se no seu lugar a estĂĄtua, a imensa pedra com joelhos, com pregas na tĂșnica de pedra, com o olhar perdido e nĂŁo obstante existente, inteiramente inumana e de alguma forma tambĂ©m humana, de alguma forma ou de alguma contradição estatuĂĄria,

Continue lendo…

Se quiserdes ser felizes, conservai afastados da ĂĄrvore da vossa felicidade o fungo do orgulho, o verme da inveja e a lagarta do medo.

Poema do Futuro

Conscientemente escrevo e, consciente,
medito o meu destino.

No declive do tempo os anos correm,
deslizam como a ågua, até que um dia
um possĂ­vel leitor pega num livro
e lĂȘ,
lĂȘ displicentemente,
por mero acaso, sem saber porquĂȘ.
LĂȘ, e sorri.
Sorri da construção do verso que destoa
no seu diferente ouvido;
sorri dos termos que o poeta usou
onde os fungos do tempo deixaram cheiro a mofo;
e sorri, quase ri, do Ă­ntimo sentido,
do latejar antigo
daquele corpo imĂłvel, exhumado
da vala do poema.

Na HistĂłria Natural dos sentimentos
tudo se transformou.
O amor tem outras falas,
a dor outras arestas,
a esperança outros disfarces,
a raiva outros esgares.
Estendido sobre a pĂĄgina, exposto e descoberto,
exemplar curioso de um mundo ultrapassado,
Ă© tudo quanto fica,
Ă© tudo quanto resta
de um ser que entre outros seres
vagueou sobre a Terra.