A poesia numa obra Ă© o que faz aparecer o invisĂ­vel.