Passagens de Soror Madalena da Glória

4 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Soror Madalena da Glória para ler e compartilhar. Os melhores escritores estão em Poetris.

A Vida é Feno

Esse sono, em que cego v√°s passando,
Essa vida mortal, em que confias,
J√° nas asas do tempo vai voando
Porque da vida instantes s√£o os dias:
J√° que o tempo da vida vai correndo,
A flor da formosura descaindo,
Do sol o resplendor desfalecendo,
E a luz do desengano vem ferindo:
Quando tudo da vida vai morrendo,
E tudo enfim a morte desunindo;
Oh! Considera em t√£o penosa sorte,
Que a vida é feno, sendo raio a morte!

De Amor os Raios Cobrindo

Se por dar lustre aos pesares
Vossas l√°grimas teimosas
Correm por margens de rosas,
Porque n√£o cabem nos mares,
A submergir esses ares
Subiam rios crescendo,
E certo o naufr√°gio sendo,
A fineza deslustrais,
Porque podendo amar mais,
Deixareis de amar morrendo.

Deixai que o mar se dilate,
Que o rio se precipite,
Que o vento se fortifique,
Que em √°gua a nuvem desate,
Sem que vós neste combate
Balas de neve esgrimindo,
Que as estrelas v√£o ferindo,
De neve e fogo tomeis
As armas com que ofendeis,
De amor os raios cobrindo.

Triste Padeço

Aves que o ar discorrei,
No v√īo as asas batendo,
E por vossas penas conta
Às minhas meu sentimento.

Compadecidas ouvi
De minha dor os excessos,
Mas em dizer que é saudade,
Digo o que posso dizer-vos.
Triste padeço, e ausente
Os golpes dos meus receios
Nas batalhas da dist√Ęncia,
Nos desafios do tempo.

Nas violências, do que choro,
Dos alívios desespero,
Que n√£o adormece a queixa,
Quando a desperta o desvelo.

Esmoreceu a esperança
Nas dila√ß√Ķes do desejo
Prognosticando a ruína
Frenético o pensamento.

Se meu mal s√£o sintomas,
Mortais ausências, e zelos,
Era o remédio esquecer-me,
Se em mim houvera esquecimento.

Mas se faz no meu cuidado
Opera√ß√Ķes o veneno,
Viva de senti-lo quem,
Não morre de padecê-lo.

J√° que morro, ingrata sorte,
Às mãos da tua porfia,
Deixa-me inquirir um dia
A causa da minha morte:

Se amor com impulso forte
Me rendeu, como me aparta
Do bem, que na alma retrata
Minha doce saudade,

Continue lendo…

Tenho Amor, sem Ter Amores

MOTE E GLOSA

Tenho amor, sem ter amores.

GLOSAS

Este mal que n√£o tem cura,
Este bem que me arrebata,
Este rigor que me mata,
Esta entendida loucura
√Č mal e √© bem que me apura;
Se equivocando os rigores
Da fortuna aos favores,
√Č rem√©dio em caso tal
Dar por resposta ao meu mal:
Tenho amor, sem ter amores.
√Č fogo, √© inc√™ndio, √© raio,
Este, que em penosa calma,
Sendo do meu peito alma,
De minha vida é desmaio:
E pois em moral ensaio
Da dor padeço os rigores,
Pergunta em tristes clamores
A causa da minha aflição,
Respondeu o coração:
Tenho amor, sem ter amores.