Textos sobre Estado de Machado de Assis

2 resultados
Textos de estado de Machado de Assis. Leia este e outros textos de Machado de Assis em Poetris.

O Prazer do Beneficiador é Sempre Maior do que o do Beneficiado

– N√£o me podes negar um facto, disse ele; √© que o prazer do beneficiador √© sempre maior do que o do beneficiado. Que √© o benef√≠cio? √Č um acto que faz cessar certa priva√ß√£o do beneficiado. Uma vez produzido o efeito essencial, isto √©, uma vez cessada a priva√ß√£o, torna o organismo ao estado anterior, ao estado indiferente. Sup√Ķe que tens apertado em demasia o c√≥s das cal√ßas; para fazer cessar o inc√≥modo, desabotoas o c√≥s, respiras, saboreias um instante de gozo, o organismo torna √† indiferen√ßa, e n√£o te lembras dos teus dedos que praticaram o acto. N√£o havendo nada que perdure, √© natural que a mem√≥ria se esvae√ßa, porque ela n√£o √© uma planta a√©rea, precisa de ch√£o. A esperan√ßa de outros favores, √© certo, conserva sempre no beneficiado a lembran√ßa do primeiro; mas este facto, ali√°s um dos mais sublimes que a filosofia pode achar em seu caminho, explica-se pela mem√≥ria da priva√ß√£o, ou, usando de outra f√≥rmula, pela priva√ß√£o continuada na mem√≥ria, que repercute a dor passada e aconselha a precau√ß√£o do rem√©dio oportuno.
N√£o digo que, ainda sem esta circunst√Ęncia, n√£o aconte√ßa, algumas vezes, persistir a mem√≥ria do obs√©quio, acompanhada de certa afei√ß√£o mais ou menos intensa;

Continue lendo…

Todos Temos Duas Almas

Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para dentro… Espantem-se √† vontade, podem ficar de boca aberta, dar de ombros, tudo; n√£o admito r√©plica. Se me replicarem, acabo o charuto e vou dormir. A alma exterior pode ser um esp√≠rito, um fluido, um homem, muitos homens, um objeto, uma opera√ß√£o. H√° casos, por exemplo, em que um simples bot√£o de camisa √© a alma exterior de uma pessoa; – e assim tamb√©m a polca, o voltarete, um livro, uma m√°quina, um par de botas, uma cavatina, um tambor, etc. Est√° claro que o of√≠cio dessa segunda alma √© transmitir a vida, como a primeira; as duas completam o homem, que √©, metafisicamente falando, uma laranja. Quem perde uma das metades, perde naturalmente metade da exist√™ncia; e casos h√°, n√£o raros, em que a perda da alma exterior implica a da exist√™ncia inteira. (…) Agora, √© preciso saber que a alma exterior n√£o √© sempre a mesma…
– N√£o?
– N√£o, senhor; muda de natureza e de estado. N√£o aludo a certas almas absorventes, como a p√°tria, com a qual disse o Cam√Ķes que morria, e o poder,

Continue lendo…