Passagens de Machado de Assis

272 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Machado de Assis para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

N√£o h√° decep√ß√Ķes poss√≠veis para um viajante, que apenas v√™ de passagem o lado belo da natureza humana e n√£o ganha tempo de conhecer-lhe o lado feio.

Menina e Moça

Est√° naquela idade inquieta e duvidosa,
Que não é dia claro e é já o alvorecer;
Entreaberto bot√£o, entrefechada rosa,
Um pouco de menina e um pouco de mulher.

Às vezes recatada, outras estouvadinha,
Casa no mesmo gesto a loucura e o pudor;
Tem coisas de criança e modos de mocinha,
Estuda o catecismo e lê versos de amor.

Outras vezes valsando, e* seio lhe palpita,
De cansaço talvez, talvez de comoção.
Quando a boca vermelha os l√°bios abre e agita,
Não sei se pede um beijo ou faz uma oração.

Outras vezes beijando a boneca enfeitada,
Olha furtivamente o primo que sorri;
E se corre parece, à brisa enamorada,
Abrir asas de um anjo e tranças de uma huri.

Quando a sala atravessa, é raro que não lance
Os olhos para o espelho; e raro que ao deitar
N√£o leia, um quarto de hora, as folhas de um romance
Em que a dama conjugue o eterno verbo amar.

Tem na alcova em que dorme, e descansa de dia,
A cama da boneca ao pé do toucador;

Continue lendo…

N√£o se luta contra o destino; o melhor √© deixar que nos pegue pelos cabelos e nos arraste at√© onde queira al√ßar-nos ou despenhar-nos. Esa√ļ e Jac√≥

Gosto dos epitáfios; eles são, entre a gente civilizada, uma expressão daquele pio e secreto egoísmo que induz o homem a arrancar à morte um farrapo ao menos da sombra que passou.

Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O Diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento.

Sentenças latinas, ditos históricos, versos célebres, brocardos jurídicos, máximas, é de bom aviso trazê-los contigo para os discursos de sobremesa, de felicitação ou de agradecimento.

A Uma Senhora Que Me Pediu Versos

Pensa em ti mesma, achar√°s
Melhor poesia,
Viveza, graça, alegria,
Doçura e paz.

Se j√° dei flores um dia,
Quando rapaz,
As que ora dou têm assaz
Melancolia.

Uma só das horas tuas
Valem um mês
Das alma j√° ressequidas.

Os sóis e as luas
Creio bem que Deus os fez
Para outras vidas.

Cada estação da vida é uma edição, que corrige a anterior, e que será corrigida também, até a edição definitiva, que o editor dá de graça aos vermes.

Onde h√° verdade e onde h√° mentira dos sentimentos? Seria a bela Capitu, com seus olhos de cigana obl√≠qua e dissimulada, uma ad√ļltera? Teria fundamento o ci√ļme que corr√≥i a alma de Bentinho?

Luz entre Sombras

√Č noite medonha e escura,
Muda como o passamento*
Uma só no firmamento
Trêmula estrela fulgura.

Fala aos ecos da espessura
A chorosa harpa do vento,
E num canto sonolento
Entre as √°rvores murmura.

Noite que assombra a memória,
Noite que os medos convida,
Erma, triste, merencória.

No entanto…minha alma olvida
Dor que se transforma em glória,
Morte que se rompe em vida.

N√£o sei se me explico bem, nem √© preciso dizer melhor para o fogo a que lan√ßarei um dia estas folhas de solit√°rio. [Memorial de √Āires – 25 de janeiro]