Frases de Fernando Pessoa

1092 resultados
Frases de Fernando Pessoa. Conheça este e outros autores famosos em Poetris.

N√£o posso aceitar Jeov√°, nem a humanidade. Cristo e o progresso s√£o para mim mitos do mesmo mundo. N√£o creio na Virgem Maria nem na electricidade.

A sublimidade de desperdi√ßar uma vida que podia ser √ļtil, de nunca executar uma obra que por for√ßa seria bela, de abandonar a meio caminho a estrada certa da vit√≥ria!

O santo chora, e é humano. Deus está calado. Por isso podemos amar o santo, mas não podemos amar a Deus.

E nós não nos perguntávamos para que era aquilo, porque gozávamos o saber que aquilo não era para nada.

O verdadeiro s√°bio √© aquele que assim se disp√Ķe que os acontecimentos exteriores o alterem minimamente. Para isso precisa coura√ßar-se cercando-se de realidades mais pr√≥ximas de si do que os factos, e atrav√©s das quais os factos, alterados para de acordo com elas, lhe chegam.

N√£o podendo ter a maravilhosa e natural sa√ļde de n√£o ter opini√£o nem sonhos, esforcemo-nos ao menos por adquirir a artificial sa√ļde da ren√ļncia.

√Č not√°vel que toda a obra de f√īlego, pelo qual um indiv√≠duo se institui mestre na sua categoria, √©, ao mesmo tempo, obra de emo√ß√£o e de pensamento, cont√©m tanto uma forma de arte como uma f√≥rmula de filosofia.

Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito.

Sou uma esp√©cie de carta de jogar, de naipe antigo e inc√≥gnito, restando √ļnica do baralho perdido. N√£o tenho sentido, n√£o sei do meu valor, n√£o tenho a quem me compare para que me encontre, n√£o tenho a que sirva para que me conhe√ßa.

Tudo quanto vive, vive porque muda; muda porque passa; e, porque passa, morre. Tudo quanto vive perpetuamente se torna outra coisa, constantemente se nega, se furta à vida.

O que √© doen√ßa √© desejar com igual intensidade o que √© preciso e o que √© desej√°vel, e sofrer por n√£o ser perfeito como se se sofresse por n√£o ter p√£o. O mal rom√Ęntico √© este: √© querer a lua como se houvesse maneira de a obter.

Um tédio que inclui a antecipação só de mais tédio; a pena, já, de amanhã ter pena de ter tido pena hoje.