Cita√ß√Ķes sobre Nabos

6 resultados
Frases sobre nabos, poemas sobre nabos e outras cita√ß√Ķes sobre nabos para ler e compartilhar. Leia as melhores cita√ß√Ķes em Poetris.

Da Desigualdade que Existe Entre os Homens

Plutarco diz nalgum lugar que n√£o observa entre um animal e outro dist√Ęncia t√£o grande como encontra entre um homem e outro. Est√° a falar do valor da alma e das faculdades interiores. Na verdade, observo tanta dist√Ęncia de Epaminondas, como o imagino, at√© algu√©m que conhe√ßo, quero dizer capaz de senso comum, que de bom grado eu iria al√©m de Plutarco e diria que h√° mais dist√Ęncia entre tal e tal homem do que h√° entre tal homem e tal animal: Ah! Entre um homem e outro homem, quanta dist√Ęncia! (Ter√™ncio), e que h√° tantos graus de esp√≠ritos quantas bra√ßas h√° daqui ao c√©u, e igualmente inumer√°veis.
Mas, a propósito da avaliação dos homens, é espantoso que, excepto nós, todas as coisas sejam avaliadas tão-somente pelas suas próprias qualidades. Elogiamos um cavalo porque é vigoroso e ágil, e não pelos arreios; um galgo pela sua velocidade, não pela coleira; um pássaro pela envergadura e não pelas suas correias e sinetas. Por que da mesma forma não avaliamos um homem pelo que é propriamente seu? Ele tem um alto nível de vida, um belo palácio, tanto de crédito, tanto de renda: tudo isto está ao redor dele e não nele.

Continue lendo…

Num Bairro Moderno

Dez horas da manh√£; os transparentes
Matizam uma casa apalaçada;
Pelos jardins estancam-se as nascentes,
E fere a vista, com brancuras quentes,
A larga rua macadamizada.

Rez-de-chaussée repousam sossegados,
Abriram-se, nalguns, as persianas,
E dum ou doutro, em quartos estucados,
Ou entre a rama do papéis pintados,
Reluzem, num almoço, as porcelanas.

Como é saudável ter o seu conchego,
E a sua vida f√°cil! Eu descia,
Sem muita pressa, para o meu emprego,
Aonde agora quase sempre chego
Com as tonturas duma apoplexia.

E rota, pequenina, azafamada,
Notei de costas uma rapariga,
Que no xadrez marmóreo duma escada,
Como um retalho da horta aglomerada
Pousara, ajoelhando, a sua giga.

E eu, apesar do sol, examinei-a.
P√īs-se de p√©, ressoam-lhe os tamancos;
E abre-se-lhe o algod√£o azul da meia,
Se ela se curva, esguelhada, feia,
E pendurando os seus bracinhos brancos.

Do patamar responde-lhe um criado:
“Se te conv√©m, despacha; n√£o converses.
Eu n√£o dou mais.” √ą muito descansado,
Atira um cobre lívido, oxidado,
Que vem bater nas faces duns alperces.

Continue lendo…

Meu ensinamento √© um caminho largo. √Č um caminho que permite valorizar e reverenciar tudo que tem Vida. √Č um caminho que ensina a reverenciar at√© mesas e nabos.