Cita√ß√Ķes de Juan Ram√≥n Jim√©nez

15 resultados
Frases, pensamentos e outras cita√ß√Ķes de Juan Ram√≥n Jim√©nez para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

Inteligência, Dá-me o Nome Exacto das Coisas

Inteligência, dá-me
o nome exacto das coisas!
… Minha palavra seja
a própria coisa,
criada por minha alma novamente.

Que por mim cheguem todos
os que não as conhecem, às coisas;
que por mim cheguem todos,
os que já as esquecem, às coisas;
que por mim cheguem todos
os pr√≥prios que as amam, √†s coisas…
Inteligência, dá-me
o nome exacto, e teu,
e seu, e meu, das coisas.

Tradução de José Bento

Como, Morte, Temer-te?

Como, morte, temer-te?
N√£o est√°s aqui comigo, a trabalhar?
N√£o te toco em meus olhos; n√£o me dizes
que não sabes de nada, que és vazia,
inconsciente e pacífica? Não gozas,
comigo, tudo: glória, solidão,
amor, até tuas entranhas?
N√£o me est√°s a sustentar,
morte, de pé, a vida?
N√£o te levo e trago, cego,
como teu guia? N√£o repetes
com tua boca passiva
o que quero que digas? N√£o suportas,
escrava, a gentileza com que te obrigo?

Tradução de José Bento

Nocturno

Por onde quer que minha alma
navegue, ou ande, ou voe, tudo, tudo
é seu. Que tranquila
em toda a parte, sempre;
agora na alta proa
que em duas pratas abre o azul profundo,
descendo ao fundo ou subindo ao céu!

Oh, que serena a alma
quando se apoderou,
como rainha solit√°ria e pura,
do seu império infindo!

Tradução de José Bento

À Solidão

Solid√£o coroada de rosas, quem pudera
aprisionar teu corpo de sol e de harmonia;
estar dentro de ti toda esta primavera
de sangue, e folhas secas e de melancolia!

Que palpitasse, em sonho, teu coração sonoro
sobre o meu coração sequioso de ideais;
minha palavra fosse uma palavra de ouro
de teus inesgot√°veis e puros mananciais!

Ai! Quem, iluminando a sombra alucinada
que de espinhos coroa minha p√°lida tristeza,
pudesse ser teu amor, oh deusa coroada
de rosas, solid√£o, ‚ÄĒ tu que √©s m√£e da beleza!

Tradução de José Bento

A Lembrança

1

Não te afastes, lembrança, não te afastes!
Rosto, não te desfaças, assim,
como na morte!
Continuai a olhar-me, olhos enormes, fixos,
como um instante me olhastes!
L√°bios, sorri-me,
como me sorristes um instante!

2

Ai, fronte minha, aperta-te;
n√£o deixes que se espalhe
sua forma fora do seu vaso!
Oprime o seu sorriso e o seu olhar,
até serem a minha vida interna!

3

‚ÄĒ Embora me esque√ßa de mim mesmo;
embora o meu rosto, de tanto o sentir, tome
a forma do seu rosto;
embora eu seja ela
e nela se perca a minha estrutura! ‚ÄĒ

4

Oh lembrança, sê eu!
Tu ‚ÄĒ ela ‚ÄĒ s√™ lembran√ßa inteira e √ļnica, para sempre;
lembrança que me olhe e me sorria
no nada;
lembrança, vida com minha vida,
feita eterna, apagando-me, apagando-me!

Tradução de José Bento

A Cor da Tua Alma

Enquanto eu te beijo, o seu rumor
nos d√° a √°rvore, que se agita ao sol de ouro
que o sol lhe d√° ao fugir, fugaz tesouro
da árvore que é a árvore de meu amor.

Não é fulgor, não é ardor, não é primor
o que me d√° de ti o que te adoro,
com a luz que se afasta; é o ouro, o ouro,
é o ouro feito sombra: a tua cor.

A cor de tua alma; pois teus olhos
vão-se tornando nela, e à medida
que o sol troca por seus rubros seus ouros,

e tu te fazes p√°lida e fundida,
sai o ouro feito tu de teus dois olhos
que me são paz, fé, sol: a minha vida!

Tradução de José Bento

A Mulher Nua

Humana fonte bela,
repuxo de delícia entre as coisas,
terna, suave √°gua redonda,
mulher nua: um dia,
deixarei de te ver,
e ter√°s de ficar
sem estes assombrados olhos meus,
que completavam tua beleza plena,
com a insaci√°vel plenitude do seu olhar?

(Estios; verdes frondas,
√°guas entre as flores,
luas alegres sobre o corpo,
calor e amor, mulher nua!)

Limite exacto da vida,
perfeito continente,
harmonia formada, √ļnico fim,
definição real da beleza,
mulher nua: um dia,
quebrar-se-√° a minha linha de homem,
terei que difundir-me
na natureza abstracta;
n√£o serei nada para ti,
√°rvore universal de folhas perenes,
concreta eternidade!

Tradução de José Bento

O √önico Amigo

Não me alcançarás, amigo.
Chegar√°s ansioso, louco;
mas eu j√° terei partido.

(E que medonho vazio
tudo o que tiveres deixado
atr√°s, para vir comigo!

Que lament√°vel abismo
tudo quanto eu tenha posto
entre nós, sem culpa, amigo!)

N√£o poder√°s ficar, amigo.
Voltarei talvez ao mundo.
Mas tu j√° ter√°s partido…

Tradução de José Bento

Solid√£o

Est√°s todo em ti, mar, e, todavia,
como sem ti est√°s, que solit√°rio,
que distante, sempre, de ti mesmo!

Aberto em mil feridas, cada instante,
qual minha fronte,
tuas ondas, como os meus pensamentos,
vão e vêm, vão e vêm,
beijando-se, afastando-se,
num eterno conhecer-se,
mar, e desconhecer-se.

√Čs tu e n√£o o sabes,
pulsa-te o cora√ß√£o e n√£o o sente…
Que plenitude de solid√£o, mar solit√°rio!

Tradução de José Bento

Consciência Plena

Levas-me, consciência plena, desejante deus,
por todo o mundo.
Neste mar terceiro,
quase oiço tua voz; tua voz do vento
ocupante total do movimento;
das cores, das luzes
eternas e marinhas.

Tua voz de fogo branco
na totalidade da água, do barco, do céu,
traçando as rotas com prazer,
gravando-me com f√ļlgido minha √≥rbita segura
de corpo negro
com o diamante l√ļcido em seu dentro.

Tradução de José Bento