Textos de Rainer Maria Rilke

4 resultados
Textos de Rainer Maria Rilke. Conheça este e outros autores famosos em Poetris.

Sempre a Amante Ultrapassa o Amado

O destino gosta de inventar desenhos e figuras. A sua dificuldade reside no que é complicado. A própria vida, porém, tem a dificuldade da simplicidade. Só tem algumas coisas de uma dimensão que nos excede. O santo, declinando o destino, escolhe estas coisas por amor a Deus. Mas que a mulher, segundo a sua natureza, tenha de fazer a mesma escolha em relação ao homem, isso evoca a fatalidade de todos os laços de amor: decidida e sem destino, como um ser eterno, fica ao lado dele, que se transformará. Sempre a amante ultrapassa o amado, porque a vida é maior do que o destino. A sua entrega quer ser sem medida: esta é a sua felicidade. A dor inominada do seu amor, porém, foi sempre esta: exigirem-lhe que limitasse essa entrega.

O Verdadeiro Criador N√£o Exije Recompensa do Exterior

Por isso, meu caro senhor, apenas me √© poss√≠vel dar-lhe este conselho: mergulhe em si pr√≥prio e sonde as profundidades onde a sua vida brota; na sua fonte encontrar√° a resposta √† pergunta ¬ęDevo criar?¬Ľ Aceite essa resposta, tal como lhe √© dada, sem tentar interpret√°-la. Talvez chegue √† conclus√£o de que a arte o chama. Nesse caso, aceite o seu destino e tome-o, com o seu peso e a sua grandeza, sem jamais exigir uma recompensa que possa vir do exterior. Porque o criador deve ser todo um universo para si pr√≥prio, tudo encontrar em si pr√≥prio e na Natureza √† qual toda a sua vida √© devotada.

√Č Poss√≠vel Estarmos Todos Errados?

√Č poss√≠vel (…) que n√£o se tenha visto, conhecido e dito nada de real e importante? √Č poss√≠vel que se tenha tido mil√©nios para olhar, reflectir e anotar e que se tenha deixado passar os mil√©nios como uma pausa escolar, durante a qual se come fatias de p√£o com manteiga e uma ma√ß√£?
Sim, é possível.
√Č poss√≠vel que, apesar das investiga√ß√Ķes e dos progressos, apesar da cultura, da religi√£o e da filosofia, se tenha ficado na superf√≠cie da vida? √Č poss√≠vel que at√© se tenha coberto essa superf√≠cie – que, apesar de tudo, seria qualquer coisa – com um pano incrivelmente aborrecido, de tal modo que se assemelhe aos m√≥veis da sala durante as f√©rias de Ver√£o?
Sim, é possível.
√Č poss√≠vel que toda a Hist√≥ria Universal tenha sido mal-entendida? √Č poss√≠vel que o passado seja falso, precisamente porque sempre se falou das suas multid√Ķes, como se dissertasse sobre uma aglomera√ß√£o de pessoas, em vez de falar de uma √ļnica, em torno da qual elas estavam, porque se tratava de um desconhecido que morreu?
Sim, é possível.
√Č poss√≠vel que se tenha julgado ser preciso recuperar o que aconteceu antes de se ter nascido?

Continue lendo…

Excesso de Vol√ļpia

A vol√ļpia carnal √© uma experi√™ncia dos sentidos, an√°loga ao simples olhar ou √† simples sensa√ß√£o com que um belo fruto enche a l√≠ngua. √Č uma grande experi√™ncia sem fim que nos √© dada; um conhecimento do mundo, a plenitude e o esplendor de todo o saber. O mal n√£o √© que n√≥s a aceitemos; o mal consiste em quase todos abusarem dessa experi√™ncia, malbaratando-a, fazendo dela um mero est√≠mulo para os momentos cansados da sua exist√™ncia.