Passagens de Franz Kafka

259 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Franz Kafka para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

A Necessidade de Conversar

Nos jornais, em conversas, no escrit√≥rio, a impetuosidade da linguagem leva por vezes uma pessoa a perder-se, da√≠ a esperan√ßa, que salta da fraqueza tempor√°ria, de uma repentina e mais forte ilumina√ß√£o mesmo no momento seguinte, ou de uma forte confian√ßa em si pr√≥prio, ou mero desleixo, ou uma impress√£o forte e actual de que uma pessoa quer a todo o custo descarregar no futuro, portanto a opini√£o de que o verdadeiro entusiasmo no presente justifica toda e qualquer confus√£o futura, ou o deleite nas frases que se elevam no meio com um ou dois empurr√Ķes e que a pouco e pouco abrem completamente a boca mesmo que depois a deixem fechar com demasiada rapidez e tortuosidade, ou a leve possibilidade de um ju√≠zo claro e decisivo, ou o esfor√ßo para dar mais flu√™ncia ao discurso que realmente j√° acabou, ou o desejo de abandonar √† pressa o tema se assim tiver de ser, de rastos, ou o desespero que tenta encontrar uma sa√≠da para a sua pesada respira√ß√£o, ou o anseio por uma luz sem sombra ‚ÄĒ tudo isto pode levar uma pessoa a perder-se em frases como: ¬ęO livro que acabei agora mesmo √© o mais belo que jamais li¬Ľ ou ¬ę√© t√£o belo,

Continue lendo…

O Individuo Indestrutivel

Teoricamente, só há uma possibilidade perfeita de felicidade: acreditar no indestrutível em si sem a ele aspirar.
O indestrut√≠vel √© um; cada indiv√≠duo o √© ao mesmo tempo que √© comum a todos, da√≠ esse la√ßo indissol√ļvel entre os homens, que √© sem exemplo.

Para evitar um equívoco verbal: o que deve ser activamente destruído precisa antes ter sido sustentado com firmeza total; o que desmorona desmorona, mas não pode ser destruído.

A insensatez da juventude. Medo da juventude, medo da insensatez, do surgir sem sentido de uma vida inumana.

Quando me comporto como um ser humano durante umas horas, como fiz hoje com Max e mais tarde com Baum, fico cheio de orgulho antes de ir para a cama.

O caminho √© infinito, n√£o h√° nada a subtrair ou acrescentar e, no entanto, todos insistem na pr√≥pria medida infantil. ¬ęCertamente que precisas de percorrer mais esse c√īvado de caminho, isso n√£o te ser√° negado¬Ľ.

Os m√°rtires n√£o subestimam o corpo, deixam que ele seja erguido na cruz, e nisso est√£o de acordo com os antagonistas.

A verdade é indivisível, portanto não pode ter conhecimento de si mesma; quem quer que diga conhecê-la está-se a referir a uma mentira.

Recebe-me nos teus braços, eles são as profundezas, recebe-me nas profundezas; se me recusas agora, então mais tarde.

O mal √© uma irradia√ß√£o da consci√™ncia humana em certas situa√ß√Ķes de transi√ß√£o. N√£o √© propriamente o mundo sensorial que √© apar√™ncia, mas o mal que carrega consigo e, seja como for, constitui o mundo dos sentidos para os nossos olhos.

Desabafar o Sofrimento

Nunca compreendi como √© poss√≠vel que algu√©m que escreva consiga objectivar os seus sofrimentos enquanto vive sob o seu peso; assim eu, por exemplo, no meio da minha infelicidade, provavelmente ainda com a minha cabe√ßa a queimar de infelicidade, sento-me e escrevo a algu√©m: sou infeliz. Sim, eu at√© posso ir al√©m disto e com todos os floreados que o meu talento possa inventar, que n√£o parecem ter nada a ver com a minha infelicidade, toco uma orquestra√ß√£o simples, ou em contraponto, ou uma orquestra√ß√£o completa de varia√ß√Ķes sobre o meu tema. E n√£o √© uma mentira, e n√£o mitiga a minha dor: √© simplesmente um extra misericordioso de for√ßa num momento em que o sofrimento me consumiu at√© ao fundo do meu ser e gastou completamente todas as minhas for√ßas.

Um degrau de escada que não foi desgastado a fundo é, do seu próprio ponto de vista, apenas algo de madeira montado no ermo.

Os contras de se viver com outras pessoas. Imposto pela dist√Ęncia, pela compaix√£o, piedade, prazer, cobardia, vaidade e s√≥ muito no fundo, talvez, uma t√©nue corrente digna da desgina√ß√£o de amor, imposs√≠vel de procurar, brilhando uma vez num momento do momento.

Pela primeira vez durante bastante tempo um falhanço completo em escrever. Sensação desagradável de um homem sujeito a exame.

Nunca tinha estado neste lugar: a respiração é diferente e, mais ofuscante que o sol, brilha ao seu lado uma estrela.

Um Cidad√£o Livre

Ele é um cidadão livre e seguro da Terra, pois está atado a uma corrente suficientemente longa para lhe dar livre acesso a todos os espaços terrenos e, no entanto, longa apenas para que nada seja capaz de arrancá-lo dos limites da Terra. Mas é, ao mesmo tempo, um cidadão livre e seguro do céu, uma vez que está igualmente atado a uma corrente celeste calculada de maneira semelhante. Assim, se quer descer à Terra, a coleira do céu enforca-o; se quer subir ao céu, enforca-o a coleira da Terra. A despeito de tudo, tem todas as possibilidades e sente-as, recusando-se mesmo a atribuir o que acontece a um erro cometido no primeiro acto de acorrentar.