Passagens de Graham Greene

30 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Graham Greene para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

Ao contrário de Wormold, que não acreditava em nada, Milly era católica: ele tivera de prometer à sua mãe, antes do casamento, que assim seria. Agora a mãe, pensava ele, não tinha fé alguma, mas deixara-lhe uma católica nas mãos.

O Natal parece-me ser um tempo festivo necessário; precisamos de um tempo em que possamos lamentar as nossas falhas nos nossos relacionamentos humanos: é a festa do fracasso, triste mas consoladora.

Nenhum de nós jamais morreria por amor. Iríamos sofrer e nos separar e encontrar outra pessoa. Pertencíamos ao mundo da comédia, não ao da tragédia.

A transitoriedade era a minha pigmentação; minhas raízes jamais penetrariam tão profundamente em qualquer lugar a ponto de me proporcionar um lar ou me fazer sentir seguro como o amor.

A política, a guerra, o casamento, o crime, o adultério. Tudo o que existe no mundo tem algo a ver com dinheiro.

O comiss√°rio de bordo apanhou o √ļltimo cart√£o de desembarque e ficou a observar os passageiros que atravessavam o cais cinzento e molhado, sobre uma vastid√£o de trilhos e sinais, desaparecendo atr√°s de caminh√Ķes abandonados.

Contra o que √© habitual crer, a verdade √© quase sempre divertida. A √ļnica coisa que as pessoas se d√£o ao trabalho de inventar s√£o trag√©dias.

Os comunistas têm cometido grandes crimes, mas, pelo menos, não têm ficado à margem, como uma sociedade estabelecida, nem têm sido indiferentes. Eu preferiria ter sangue nas mãos a ter água, como Pilatos.