Passagens de Italo Calvino

28 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Italo Calvino para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

A loucura é uma força da natureza para o bem ou para o mal, ao passo que a estupidez é uma debilidade da natureza sem contrapartidas.

O Saber Oral

O novo saber que o g√©nero humano vai adquirindo n√£o compensa o saber que se propaga apenas pela transmiss√£o oral directa, o qual, uma vez perdido, nunca mais se pode readquirir e retransmitir: nenhum livro pode ensinar aquilo que apenas se pode aprender na inf√Ęncia, se se entrega o ouvido e o olho atentos ao canto e ao voo dos p√°ssaros e se se encontra ent√£o algu√©m que pontualmente lhes saiba dar um nome.

Toda a história não é mais do que uma infinita catástrofe da qual tentamos sair o melhor possível.

O autor de um livro √© uma personagem fict√≠cia que o autor real inventa para que seja autor das suas fic√ß√Ķes.

S√≥ depois de haver conhecido a superf√≠cie das coisas √© que se pode proceder √† busca daquilo que est√° embaixo. Mas a superf√≠cie das coisas √© inexaur√≠vel… [Retirado do livro Palomar]

√Č como um po√ßo sem fundo. Voltamos a sentir o apelo do nada, a tenta√ß√£o de cair, de nos rejuntarmos a uma obscuridade que nos convoca.

Aquilo a que a terminologia rom√Ęntica chama g√©nio ou inspira√ß√£o n√£o √© mais do que encontrar empiricamente o caminho, seguir o pr√≥prio olfacto, tomar atalhos.

A Dist√Ęncia Entre Gera√ß√Ķes

A solu√ß√£o de continuidade entre as gera√ß√Ķes depende da impossibilidade de transmitir a experi√™ncia, de fazer evitar aos outros os erros j√° cometidos por n√≥s. A verdadeira dist√Ęncia entre duas gera√ß√Ķes √© dada pelos elementos que t√™m em comum e que obrigam √† repeti√ß√£o c√≠clica das mesmas experi√™ncias, como nos comportamentos das esp√©cies animais transmitidos pela heran√ßa biol√≥gica; ao passo que os elementos da verdadeira diversidade existente entre n√≥s e eles s√£o, pelo contr√°rio, o resultado das modifica√ß√Ķes irrevers√≠veis que cada √©poca traz consigo, ou seja, dependem da heran√ßa hist√≥rica que n√≥s lhes transmitimos, a verdadeira heran√ßa de que somos respons√°veis, mesmo que por vezes o sejamos de forma inconsciente. Por isso n√£o temos nada a ensinar: sobre aquilo que mais se parece com a nossa experi√™ncia n√£o podemos influir; naquilo que traz o nosso cunho, n√£o sabemos reconhecer-nos.

O conhecimento do próximo tem isto de especial: passa necessariamente pelo conhecimento de si mesmo.

Ser capaz de colocar continuamente em quest√£o as suas pr√≥prias opini√Ķes – esta √©, para mim, a condi√ß√£o preliminar de qualquer intelig√™ncia.

A vida de uma pessoa consiste num conjunto de acontecimentos, dos quais o √ļltimo tamb√©m poderia mudar o sentido de todo o conjunto.

Quando tenho mais ideias do que os outros, dou-lhe essas idéias, se as aceitam; e isso é comandar.

Até mesmo para quem passou toda uma vida no mar, chega uma idade em que se deixa a embarcação.

Como epígrafes num alfabeto indecifrável, do qual metade das letras tenham sido apagadas pelo esmeril do vento pesado de areia, assim permanecereis, perfumarias, para o homem futuro sem nariz.

N√£o podemos conhecer nada de exterior a n√≥s pr√≥prios que nos supere (…) o universo √© o espelho em que podemos contemplar apenas o que aprendemos a conhecer em n√≥s.