Passagens de Novalis

34 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Novalis para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

Só há um templo no mundo e é o corpo humano. Nada é mais sagrado que esta forma sublime. Inclinar-se diante de um homem é fazer homenagem a esta revelação na carne. Toca-se o céu quando se toca um corpo humano.

A Vergonha é um Sentimento de Profanação

A vergonha é bem um sentimento da profanação. Amizade, amor e piedade deveriam ser tratados secretamente. Só deveríamos falar deles em raros momentos de intimidade, ficar de acordo silenciosamente Рhá muitas coisas que são demasiado delicadas para se pensar nelas, muito menos ainda para delas se falar.

Quando vemos um gigante, precisamos primeiro examinar a posição do sol e observar para termos certeza de que não se trata da sombra de um pigmeu.

Nem Excelente Nem Absoluto

Todo o Excelente merece o ostracismo. √Č um bem, se ele a si pr√≥prio se condenar. Todo o Absoluto deve ser banido do mundo. No Mundo tem de se viver com o Mundo. E s√≥ se vive, se for no sentido dos Homens com os quais se vive. Todo o bem que h√° no Mundo prov√©m do interior (e portanto vem-lhe a ele do exterior), mas √© apenas uma fa√≠sca que, veloz, o percorre. Todo o Excelente faz avan√ßar o Mundo, mas deve desaparecer quanto antes.

Rentabilizar os Acasos

Todos os acasos da nossa vida são materiais de que podemos fazer o que quisermos. Quem possui muito espírito faz muito da sua vida Рcada tomada de conhecimento, cada acontecimento seria para ele inteiramente espiritual Рum primeiro membro de uma série infinita Рo início de um romance infinito.

Na verdade, a filosofia é nostalgia, o desejo de se sentir em casa em qualquer lugar.

Ao homem √© l√≠cito desejar as coisas sens√≠veis de maneira racional, enquanto √† mulher √© l√≠cito desejar as coisas racionais de maneira sens√≠vel… A natureza secund√°ria do homem √© a principal da mulher.

O espaço mescla-se com o tempo assim como o corpo se mescla com a alma.

Nunca nos compreendemos completamente, mas podemos e poderemos fazer muito melhor do que compreendermo-nos.

O amor sempre inspirou romances, ou seja, a arte de amar sempre foi rom√Ęntica.

Quando vemos um gigante, temos primeiro de examinar a posição do sol e observar para termos certeza de que não é a sombra de um pigmeu.

Rezar é para a religião o mesmo que pensar para a filosofia. Rezar é criar religião.

A propriedade enobrece a posse, assim como o casamento enobrece o prazer físico.

A vida de um homem culto deveria simplesmente alternar-se entre m√ļsica e n√£o-m√ļsica, como entre o sono e o despertar.

A Vantagem da Diversificação de Actividades

O homem perfeito deve viver, por assim dizer, em diversos lugares e em v√°rios Homens, simultaneamente – √© necess√°rio que lhe estejam constantemente presentes m√ļltiplos acontecimentos e um c√≠rculo mais vasto. Assim se forma, ent√£o, a verdadeira e grandiosa presen√ßa do esp√≠rito – que faz do Homem um verdadeiro cidad√£o do mundo e o estimula e fortalece em cada momento da sua vida, atrav√©s das mais ben√©ficas associa√ß√Ķes, e o coloca na clara disposi√ß√£o de uma actividade l√ļcida.

Vence a Tua Inércia!

O destino que nos oprime é a inércia do nosso espírito. Através do alargamento e formação da nossa actividade transmutamo-nos, nós próprios, em Destino.
Tudo parece fluir para nós vindo do exterior, porque nós não fluímos para o exterior. Somos negativos, apenas, porque o queremos Рquanto mais positivos nos tornarmos, mais negativo será o mundo à nossa volta Рaté que, por fim, já não haverá negação e nós seremos tudo em tudo.
Deus quer deuses.
Se o nosso corpo, em si mesmo, não é senão um centro de acção comum dos nossos sentidos Рse nós possuímos o domínio dos nossos sentidos Рse os podemos fazer agir à vontade Рse os podemos centrar em comunidade, então não depende senão de nós o darmos a nós próprios o corpo que queremos.
Sim, se os nossos sentidos n√£o s√£o sen√£o modifica√ß√Ķes do √≥rg√£o pensante – do elemento absoluto – ent√£o poderemos, tamb√©m, pela domina√ß√£o deste elemento, modificar e dirigir, como nos agradar, os nossos sentidos.