Cita├ž├úo de

Presen├ža

S├│ saberei de ti pelos teus olhos,
que falam mais que a tua fala pouca.
Doce mem├│ria (irei buscar-te sempre)
encilhada a essa ├ęgua dos minutos,

onde os ponteiros trotam meus desejos,
avivando a paisagem na lembran├ža
vinda de ti, e em mim reconstru├şda.
Essa presen├ža, em passos e pegadas,

passeia no meu corpo, agora estrada,
caminho teu; submisso, eis meu segredo.
Que abrigar teus p├ęs, possa, novamente,

o meu sereno peito fatigado.
Este que anseia teu corpo presente
olho no olho na v├ęspera do gozo.