Frases sobre Existência de Masaharu Taniguchi

26 resultados
Frases de existência de Masaharu Taniguchi. As mais belas frases e mensagens de Masaharu Taniguchi para ler e compartilhar.

Teus sofrimentos não se extinguirão enquanto acreditares serem existências reais os males que teus olhos vêem. Julgar existente o que é visível é a atitude de pessoas comuns. Sê uma pessoa superior, ‘acima do comum’.

Aquele que contempla unicamente a Realidade (existência verdadeira) tem a mente iluminada e o corpo transbordante de Vida.

Abrindo os olhos da mente vemos que boa sorte está em toda parte, esperando-nos de braços abertos. Para Newton, que descobriu a gravitação da Terra, a sorte estava na queda de uma maçã. Para Franklin, que descobriu a existência da eletricidade na atmosfera, a sorte estava na ocorrência de relâmpagos. Os que têm os olhos da mente abertos ‘enxergam’ a sorte em coisas e fatos, para os quais a maioria não dá importância.

Observa as árvores derrubadas: elas acabam secando. Todas as coisas (inclusive a doença) que não pertencem a Deus (existência verdadeira) são derrubadas quando a pessoa volta a mente para Deus. Uma árvore recém-derrubada parecerá viva por algum tempo, mas já está morta e acabará secando após algumas horas. O mesmo ocorre com a doença, quando a pessoa volve sua mente para Deus.

Mesmo que abandones todos os bens materiais, se continuas pensando que o homem é existência material, permaneces apegado à matéria; mesmo possuindo bens materiais, se compreendes que a matéria não é existência verdadeira, estás plenamente desapegado da matéria e és livre.

O que impede a destruição do pecado é a força do pensamento da própria pessoa que crê na existência do pecado. O que impede a dispersão das nuvens é a força de atração da própria Terra.

Realidade (existência verdadeira) é luz; é luz maravilhosa que nos permite concretizar todas as coisas desejáveis. Irrealidade é treva; treva é sinônimo de doença, infelicidade e sofrimento. A treva é irreal. Somente a luz é real. Treva é mera ausência de luz.

Verdade! Verdade! Verdade! Não vejas a falsidade. Vê unicamente a Verdade. Se julgares a falsidade como existência real, ficarás preso a ela. Se a considerares inexistente, todos os obstáculos desaparecerão da tua frente e caminharás livremente.

Se o pecado fosse existência verdadeira, se tivesse substância, nem Cristo nem Buda e nem as divindades do xintoísmo seriam capazes de extingui-lo. Ele pode ser extinto porque não é existência verdadeira.

O ascetismo é uma prática em que o homem, admitindo a existência do ‘eu iludido’, esforça-se para eliminar sua ilusão. O despertar consiste na compreensão de que ‘o eu iludido não existe’; esta compreensão é que ocasiona o desaparecimento natural da ilusão e o aparecimento natural do ‘Eu eternamente feliz’. O ascetismo exige sacrifício, mas o despertar dispensa sacrifício.

Certa pessoa recebeu de Deus a revelação: ‘Tudo que é perceptível aos cinco sentidos é inexistente’. Assim que ela recebeu de Deus esta mensagem, o mundo perceptível aos cinco sentidos desapareceu de sua frente. Em seguida, recebeu de Deus nova mensagem: ‘Também não existe o ‘eu’ que pensa que este mundo é inexistente’. E simultaneamente desapareceu também o ‘eu’ que compreendera a inexistência deste mundo. É assim que desaparece o falso eu. Quem não passa por tal experiência julga existir algo chamado ‘eu’ que pensa na existência ou na inexistência da ilusão e que ora se ilude, ora se desperta. A ilusão é ‘algo inexistente’ apresentado pelo ‘eu inexistente’.

O mal não existe realmente. Todos os males são falsas existências. Não te deixes arrastar pelo mal. Afinal, és filho de Deus, que é Bem.

Enquanto a pessoa continuar pensando que o corpo carnal é existência verdadeira, ela ainda não anulou, isto é, não o crucificou. Logo, não nasceu de novo, não renasceu em espírito. Sua vida ainda é de natureza carnal e não de natureza divina. Quem considera o corpo como existência real e fala no dualismo espírito-carne, ainda não despertou para a Verdade.

O corpo é projeção da mente; não só o corpo carnal, mas também o corpo astral e o espiritual. Nenhum corpo é existência verdadeira. O corpo pode ser objeto de experimentos, mas o Espírito não.

Na verdade, não existe outro ‘eu’ além do ‘Eu eterno’, infinitamente belo, sublime e perfeito. O ‘eu’ que se apega à matéria e sofre é o ‘falso eu’. Mas isso não significa que o ‘falso eu’ seja uma existência real. Dizer que o ‘falso eu’ está manifestado, significa que o ‘Eu verdadeiro’ se encontra ausente.

Se escondes os teus pecados é porque ainda pensas que o pecado tem existência real. Ainda pensas que foi teu ‘Eu verdadeiro’ que cometeu o pecado. Respeita mais o teu ‘Eu verdadeiro’. Insulta o ‘falso eu’, enxota-o e anula-o.

A teoria da negação, que considera efêmero o mundo fenomênico, quando não se fundamenta na certeza da existência do Eu divino (Imagem Verdadeira), degenera em pessimismo e niilismo. A mesma teoria da negação, quando se alicerça na certeza da existência do Eu divino (Imagem Verdadeira), torna-se a maior das filosofias otimistas. Esta última é a Seicho-No-Ie.