Frases sobre Mundo de Franz Kafka

24 resultados
Frases de mundo de Franz Kafka. As mais belas frases e mensagens de Franz Kafka para ler e compartilhar.

O mal √© uma irradia√ß√£o da consci√™ncia humana em certas situa√ß√Ķes de transi√ß√£o. N√£o √© propriamente o mundo sensorial que √© apar√™ncia, mas o mal que carrega consigo e, seja como for, constitui o mundo dos sentidos para os nossos olhos.

Só podia encontrar a felicidade se conseguisse subverter o mundo para o fazer entrar no verdadeiro, no puro, no imutável.

Na tua luta contra o resto do mundo, aconselho-te que te ponhas do lado do resto do mundo.

Bandeiras Negras! Como eu também leio mal. E com que maldade e fraqueza eu me observo. Aparentemente não consigo forçar o meu caminho para entrar no mundo, mas talvez ficar sossegado, receber, expandir em mim o que recebi e então calmamente avançar.

N√£o h√° necessidade de sair da sala. √Č suficiente sentar-se √† mesa e escutar. Nem sequer √© necess√°rio escutar, √© s√≥ esperar. Nem sequer √© preciso esperar, √© s√≥ aprender a ficar em sil√™ncio. O mundo se oferecer√° a voc√™ livremente para ser descoberto.

Não existe nada a não ser um mundo espiritual; o que chamamos de mundo dos sentidos é o mal no mundo do espírito, e o que chamamos de mal, apenas a necessidade de um instante na nossa eterna evolução.

O facto de que não existe nada senão um mundo do espírito tira-nos a esperança e dá-nos a certeza.

De alguma forma eu lutava contra sensa√ß√Ķes que continham pura abstra√ß√£o e nenhum gesto dirigido ao mundo atual.

Quem, dentro do mundo, ama o próximo, não está mais nem menos certo do que quem, dentro do mundo, se ama a si mesmo. Resta só a pergunta sobre se o primeiro deles é possível.

S√≥ alusivamente √© que a linguagem pode ser usada para tudo o que est√° fora do mundo dos sentidos, mas nunca comparativamente, nem mesmo de forma aproximada, uma vez que ela s√≥ trata, correspondendo ao mundo sensorial, da propriedade e das suas rela√ß√Ķes.

Podes conter-te diante dos sofrimentos do mundo ‚Äď √© algo que tens liberdade de fazer e corresponde √† tua natureza, mas talvez seja esse autocontrole o √ļnico sofrimento que poderias evitar.

Quem renuncia ao mundo tem de amar todos os seres humanos, pois também renuncia ao mundo deles. A partir daí começa a pressentir a verdadeira essência humana, que não é outra coisa senão poder ser amado, pressupondo-se que esteja à altura disso.

Como é possível alguém alegrar-se com o mundo, a não ser quando se refugia nele?

O mundo horr√≠vel que tenho dentro da minha cabe√ßa. Mas como libertar-me e libert√°-lo sem me despeda√ßar. E mil vezes ser despeda√ßado do que ret√™-lo em mim ou enterr√°-lo. √Č para isso, de facto, que eu estou aqui, isso √© claro para mim.

Com a mais forte das luzes pode-se dissolver o mundo. Diante de olhos fracos, ele torna-se sólido, de olhos mais fracos, ele ganha punhos, de outros mais fracos ainda, ele fica envergonhado e esmaga quem ousa fitá-lo.

Não se deve prejudicar ninguém, nem mesmo o mundo, para alcançares uma vitória.

Só aqui o sofrimento é sofrimento. Não como se aqueles que aqui sofrem devam ascender a outro lugar em função desse sofrimento, mas no sentido de que aquilo que neste mundo se chama sofrimento, em outro mundo, inalterado e tão-somente libertado do seu oposto, é êxtase.

Foi-lhes apresentada a op√ß√£o de se tornarem reis ou mensageiros dos reis. √Ä maneira das crian√ßas, todos quiseram ser mensageiros. √Č por isso que existe um bando de mensageiros que correm pelo mundo e, uma vez que n√£o h√° mais reis, bradam uns para os outros mensagens que perderam o sentido. Gostariam de p√īr um fim √† sua vida miser√°vel, mas n√£o ousam faz√™-lo por causa do juramento de of√≠cio.

Em sua luta contra o resto do mundo, aconselho que você se coloque ao lado do resto do mundo.