Passagens de Pedro Chagas Freitas

270 resultados
Frases, pensamentos e outras passagens de Pedro Chagas Freitas para ler e compartilhar. Os melhores escritores est√£o em Poetris.

A felicidade, quando √© vista como o ponto mais alto da tua vida, √© uma nulidade. Uma serenidade. E a serenidade √© uma seca. Esquece a felicidade. Quando quiseres viver, exige-te loucura, exige-te algo que n√£o tem sequer denomina√ß√£o – de t√£o forte, de t√£o intenso, de t√£o √ļnico: de t√£o tudo.

O abismo do amor é a liberdade que nos tira, a certeza de que está uma corda junto ao pescoço que não conseguimos dominar.

O altru√≠smo √© a mais atroz forma de ego√≠smo que a humanidade conseguiu conceber. (…) O altru√≠sta √© aquele gajo que pensa que quando est√° a fazer os outros felizes est√° a esquecer-se de pensar em si. Mas n√£o: o altru√≠sta √©, na realidade, aquele gajo que ajuda todos ‚Äď para se ajudar a si mesmo.

A Lamechal√Ęndia

Acabo de perceber que estou a escrever mais uma obra lamechas, vivo na Lamechal√Ęndia desde que te conhe√ßo, e √© bom que d√≥i, t√£o bom que s√≥ escrevo s√≥ ela, a lamechice √© boa mas nunca sozinha, exige que aqui e ali surja o lado negro, a lua existe para valorizar o sol, e o contr√°rio tamb√©m √© verdadeiro, n√£o percebo patavina de astronomia mas de amor percebo, que √© o mesmo que dizer que percebo de ti, tento, v√°, √†s vezes consigo,
a Lamechal√Ęndia n√£o √© s√≥ lamechice, n√£o √© s√≥ cor de rosa, Deus me livre de ser assim, adormecia antes de viver, a Lamechal√Ęndia √© a capacidade de ser lamechas quando √© preciso ser lamechas, quando ser lamechas tem de ser, agora que estamos aqui deitados nesta cama tem de ser, abra√ßo-te a cada letra que escrevo, procuro com as minhas m√£os cada cent√≠metro da tua pele sempre que me lembro de que somos assim, ser lamechas √© conseguir n√£o pensar em como se vai amar, n√£o pensar no que se vai dizer, olhar o outro e dizer-lhe ‚Äúprocuro-te como se procurasse sobreviver‚ÄĚ, e isto n√£o tem nada de mal, a falta de um orgasmo provoca mais conflitos do que a falta de um p√£o,

Continue lendo…

Intragável é Estar Parado

Intragável é estar parado. Não mudar. Aguentar. Sobreviver. Permanecer. Mesmo que seja pouco, mesmo que seja insuficiente. Manter tudo como está apenas para não correr o risco de ficar pior. Intragável é não perdoar, não ilibar. E só criticar, só apontar, só atacar. E não criar, não refazer, não imaginar. Intragável é não acreditar. Intragável é o que não é maravilhoso, o que não é delicioso, o que não é fantástico, monumental, abençoado, miraculoso, espantoso. Intragável é acordar para o dia a recusar o dia, a não querer o dia, a não apetecer o dia, a não pensar nas mil e uma maneiras de o tornar inesquecível. Deixar estar. Não mexer, não querer a ferida se for através da ferida que se chega à cura. Ser cauteloso, prevenido. Intragável é o que não é exagerado, o que não é desproporcionado, o que não parece incomportável. Se não parece incomportável, é insuportável. Não quero. Não admito. Não me admito. Intragável é repetir. Hoje como réplica exacta de ontem e como réplica exacta de amanhã. As mesmas coisas, as mesmas palavras, os mesmos actos, os mesmos movimentos. Sempre igual. Sempre o mesmo. Intragável é continuar por continuar, andar por andar, viver por viver.

Continue lendo…

A vida vale muito pela qualidade das separa√ß√Ķes que nos d√°, pela profundidade das saudades, por exemplo, quem nunca chorou que nem um maluco nunca amou que nem um maluco.

As lágrimas também acontecem para dignificar o prazer, as pessoas que nunca amaram assim são equilibradas mas provavelmente não são pessoas.

√Č importante sonhar cansado, desgastar as oportunidades, dar-lhes dia-a-dia, rotina, consist√™ncia, uma lua que se possa tocar, √© isso, √© importante sonhar cansado, sonhar √© amar por dentro.

√Čramos proibidos mas am√°mo-nos √† maneira de Deus, at√© que a morte nos separasse, claro est√°, o problema √© que havia v√°rias mortes para experimentar e √© por isso que ainda aqui estamos, quantas vezes √© poss√≠vel amar-te pela primeira vez?

O mundo existe quando existe o amor, o resto é qualquer coisa que nunca tornou ninguém inesquecível, é de quem ama que se faz a história, um país, uma mulher, um homem, um ideal.

A Subfelicidade

O que mais d√≥i n√£o √© ‚Äď desengana-te ‚Äď a infelicidade. A infelicidade d√≥i. Magoa. Martiriza. √Č intensa; faz gritar, sofrer, saltar, chorar. Mas a infelicidade n√£o √© o que mais d√≥i. A infelicidade √© infeliz ‚Äď mas n√£o √© o que mais d√≥i.

O que mais d√≥i √© a subfelicidade. A felicidade mais ou menos, a felicidade que n√£o se faz felicidade, que fica sempre a meio de se ser. A quase felicidade. A subfelicidade n√£o magoa ‚Äď vai magoando; a subfelicidade n√£o martiriza ‚Äď vai martirizando. N√£o √© intensa ‚Äď mas √© imensa; faz gritar, sofrer, saltar, chorar ‚Äď mas em sil√™ncio, em surdina, em anonimato. Como se n√£o fosse. Mas √©: a subfelicidade √©. A subfelicidade faz-te ficar ref√©m do que tens ‚Äď mas nem assim te impede de te sentires apeado do que n√£o tens e gostarias de ter. Do que est√° ali, sempre ali, sempre √† m√£o de semear ‚Äď e que, mesmo assim, nunca consegues tocar. A subfelicidade √© o piso -1 da felicidade. E n√£o h√° elevador algum que te leve a subir de piso. Tens de ser tu a pegar nas tuas perninhas e a subir as escadas. Anda da√≠.

Continue lendo…

O amor sabe ao começo das férias grandes, o calor a aparecer e possibilidades infinitas à frente, o dia acaba quando adormecemos, mas quando adormecemos adormecemos juntos, e então não acaba nada.