Passagens sobre Her贸is

187 resultados
Frases sobre her贸is, poemas sobre her贸is e outras passagens sobre her贸is para ler e compartilhar. Leia as melhores cita莽玫es em Poetris.

Hoje fala-se com disfarces e com palidez e as ac莽玫es s茫o o oposto das palavras e a sociedade 茅 t茫o corrompida, que pais e maridos ofendidos passeiam de bra莽o dado com os her贸is de sala.

Quando Analiso a Conquistada Fama

Quando analiso
a conquistada fama dos her贸is
e as vit贸rias dos grandes generais,
n茫o sinto inveja desses generais
nem do presidente na presid锚ncia
nem do rico na sua vistosa mans茫o;
mas quando eu ou莽o falar
do entendimento fraterno entre dois amantes,
de como tudo se passou com eles,
de como juntos passaram a vida
atrav茅s do perigo, do 贸dio, sem mudan莽a
por longo e longo tempo atravessando
a juventude e a meia-idade e a velhice
sem titubeios, de como leais
e afei莽oados se mantiveram
鈥 a铆 ent茫o 茅 que eu me ponho pensativo
e saio de perto 脿 pressa
com a mais amarga inveja.

N贸s podemos passar nossa vida deixando o mundo nos dizem quem somos. S茫os ou insanos. Santos ou viciados em sexo. Her贸is ou v铆timas. Podemos deixar a hist贸ria contar qu茫o bons ou ruins n贸s somos. Deixar nosso passado decidir o nosso futuro. Ou podemos decidir por n贸s mesmos. E talvez seja esse o nosso trabalho, inventar algo melhor.

Opi谩rio

Ao Senhor M谩rio de S谩-Carneiro

脡 antes do 贸pio que a minh’alma 茅 doente.
Sentir a vida convalesce e estiola
E eu vou buscar ao 贸pio que consola
Um Oriente ao oriente do Oriente.

Esta vida de bordo h谩-de matar-me.
S茫o dias s贸 de febre na cabe莽a
E, por mais que procure at茅 que adoe莽a,
j谩 n茫o encontro a mola pra adaptar-me.

Em paradoxo e incompet锚ncia astral
Eu vivo a vincos de ouro a minha vida,
Onda onde o pundonor 茅 uma descida
E os pr贸prios gozos g芒nglios do meu mal.

脡 por um mecanismo de desastres,
Uma engrenagem com volantes falsos,
Que passo entre vis玫es de cadafalsos
Num jardim onde h谩 flores no ar, sem hastes.

Vou cambaleando atrav茅s do lavor
Duma vida-interior de renda e laca.
Tenho a impress茫o de ter em casa a faca
Com que foi degolado o Precursor.

Ando expiando um crime numa mala,
Que um av么 meu cometeu por requinte.
Tenho os nervos na forca, vinte a vinte,
E ca铆 no 贸pio como numa vala.

Continue lendo…

Antigamente usava-se canonizar os her贸is; hoje vulgarizamo-los. Edi莽玫es baratas de grandes livros podem ser magn铆ficas, mas edi莽玫es baratas de grandes homens s茫o absolutamente detest谩veis.

Os Grandes Homens

Daqueles que comandaram batalh玫es e esquadr玫es s贸 resta o nome. O g茅nero humano nada tem para mostrar duma centena de batalhas travadas. Mas os grandes homens de que vos falo prepararam puros e perenes prazeres para os homens que ainda h茫o-de nascer. Uma eclusa a ligar dois mares, um quadro de Poussin, uma bela trag茅dia, uma nova verdade – s茫o coisas mil vezes mais preciosas do que todos os anais da corte ou todos os relatos de campanhas militares. Sabeis que, comigo, os grandes homens s茫o os primeiros e os her贸is os 煤ltimos.
Chamo 芦grandes homens禄 a todos aqueles que se distinguiram na cria莽茫o daquilo que 茅 煤til ou agrad谩vel. Os saqueadores de prov铆ncias s茫o meros her贸is.

N谩ufragos que Navegam Tempestades

As tempestades s茫o sempre per铆odos longos. Poucas pessoas gostam de falar destes momentos em que a vida se faz fria e anoitece, preferem hist贸rias de praias divertidas 脿s das profundas trag茅dias de tantos naufr谩gios que s茫o, afinal, os verdadeiros pilares da nossa exist锚ncia.

Gente vazia tende a pensar em quem sofre como fraco… quando fracos s茫o os que evitam a qualquer custo mares revoltos, tempestades em que qualquer um se sente min煤sculo, mas s贸 os que n茫o prestam o s茫o verdadeiramente. Para a gente de cora莽茫o pequeno, qualquer dor 茅 grande. Os homens e mulheres que assumem o seu destino sabem que, mais cedo ou mais tarde, morrer茫o, mas h谩 ainda uma decis茫o que lhes cabe: desviver a fugir ou morrer sofrendo para diante.
Da morte sa铆mos, para a morte caminhamos. O que por aqui sofremos pode bem ser a forma que temos de nos aproximarmos do cora莽茫o da verdade.

Haver谩 sempre quem seja mestre de conversas e valente piloto de naus alheias, os que sabem sempre tudo, principalmente o que 茅 (d)a vida do outro, e mais especificamente se estiver a passar um mau bocado. Logo se apressam a dizer que depois da tempestade vem a bonan莽a,

Continue lendo…

Todos os Fins S茫o Neutralizados

Todos os fins s茫o neutralizados, e os ju铆zos de valor viram-se uns contra os outros:
Dizemos bom aquele que s贸 escuta o seu cora莽茫o, mas tamb茅m aquele que s贸 escuta o seu dever;
Dizemos que 茅 bom o indulgente, o pac铆fico, mas tamb茅m dizemos que 茅 bom o valente, o inflex铆vel, o r铆gido;
Dizemos bom aquele que n茫o pratica a viol锚ncia contra si pr贸prio, mas tamb茅m dizemos bom o her贸i, que triunfa de si mesmo;
Dizemos bom o amigo da verdade absoluta, mas tamb茅m dizemos bom o homem piedoso, que tudo transfigura;
Dizemos bom aquele que 茅 altaneiro, mas tamb茅m dizemos bom o homem piedoso;
Dizemos bom o homem distinto, o aristocrata, mas tamb茅m dizemos bom aquele que n茫o 茅, nem desdenhoso, nem arrogante;
Dizemos bom o homem cordato, que evita conflitos, mas tamb茅m dizemos bom o que deseja a luta e a vit贸ria;
Dizemos bom aquele que quer ser sempre o primeiro, mas tamb茅m dizemos bom aquele que n茫o deseja sobrepor-se a ningu茅m.

De Mayseder Gentil O Vulto Ingente

De Mayseder gentil o vulto ingente
De Corelli, de Spohr e de Nardini,
De Ole Bull supernal, de Veracini
Inspirados por Deus c’o plectro ardente;

Dessa lira febril, 谩urea, potente
Do artista sem par, de Paganini;
De Viotti dinal, do her贸i Tardini,
De Lafont, de Baillot, Eck e Laurenti:

Sois rival feliz! e nesse cr芒nio
H谩 em jorros, oh c茅us! extravasando
O ardor musical, o ardor tit芒neo…

J谩 bem cedo, veloz, ides galgando
L谩 da gl贸ria os degraus, o suped芒neo
Sobre um trono de luz rindo e cantando.

Uma Significa莽茫o para a Vida

Como 茅 que o homem vai viver sem uma significa莽茫o para a vida? Donde essa significa莽茫o? Os suced芒neos dos deuses atropelam-se tumultuosos, mas duram menos que os deuses, duram menos que um homem. Imaginei um dia que o homem viria a aceitar a sua condi莽茫o em plenitude. S贸 n茫o imagino esse homem. Porque imaginando-o como me 茅 poss铆vel, penso que admitir谩 uma transcend锚ncia inomin谩vel, uma dimens茫o que supere o imediato da vida. S贸 que o pens谩-lo n茫o me afecta o sentir. Tenho o enigma mas n茫o a chave que o desvende. Sei a interroga莽茫o, mas n茫o posso convert锚-la na pergunta a que se d谩 uma resposta. Da integra莽茫o do homem no mist茅rio do universo o que me fica 茅 a vertigem. Mas aguento-me a铆 sem me retirar do abismo nem cair nele. O curioso 茅 que s茫o os 芦racionalistas禄 quem menos se perturba com a sem-raz茫o de tudo isto. Porque eles 茅 que deviam saber, mais do que os outros, o porqu锚 e o para qu锚. N茫o querem. O mundo existe-lhes assim mesmo, sem significa莽茫o. Para mim me existe tamb茅m. Mas isso aturde-me. A velhice que se anuncia, anuncia-me a aceita莽茫o e a serenidade. Mas n茫o me anuncia a liquida莽茫o do problema.

Continue lendo…

Reduzir a Depend锚ncia das Coisas

Tudo consiste em reduzir a depend锚ncia das coisas.
Partes amanh茫. N茫o mais nos veremos. Um pouco o
desertor a cada passagem da nossa alma ou
quem espera para morrer.

A aquisi莽茫o de todos estes bens
as esp茅cies de tristeza s茫o o que
acompanha quem espera 鈥 quais as pretendidas
vantagens? a juventude ou o mar?

Que te importa o que posso ou n茫o fazer? Se
estamos t茫o perto quando nas ruas cruzamos e dizemos
o her贸i de toda a circunst芒ncia 鈥 a tua vida
precede a minha a tua morte ao abrigo das paix玫es
mas nada disto 茅 dito
animal que repousa sob o erro.

Pela 煤ltima vez
p玫e os teus sapatos novos
t茫o contr谩rios 脿 fonte dos actos e 脿 moral
e vem, mesmo que tenhas andado para l谩 do som,
lavadinho, para que eu possa passar a minha m茫o
pelo p锚lo
pelo p锚lo lugar tamb茅m do saber e de toda a possess茫o.

A Portugal

Esta 茅 a ditosa p谩tria minha amada. N茫o.
Nem 茅 ditosa, porque o n茫o merece.
Nem minha amada, porque 茅 s贸 madrasta.
Nem p谩tria minha, porque eu n茫o mere莽o
A pouca sorte de nascido nela.

Nada me prende ou liga a uma baixeza tanta
quanto esse arroto de passadas gl贸rias.
Amigos meus mais caros tenho nela,
saudosamente nela, mas amigos s茫o
por serem meus amigos, e mais nada.

Torpe dejecto de romano imp茅rio;
babugem de invas玫es; salsugem porca
de esgoto atl芒ntico; irris贸ria face
de lama, de cobi莽a, e de vileza,
de mesquinhez, de fatua ignor芒ncia;
terra de escravos, cu pr贸 ar ouvindo
ranger no nevoeiro a nau do Encoberto;
terra de funcion谩rios e de prostitutas,
devotos todos do milagre, castos
nas horas vagas de doen莽a oculta;
terra de her贸is a peso de ouro e sangue,
e santos com balc茫o de secos e molhados
no fundo da virtude; terra triste
脿 luz do sol calada, arrebicada, pulha,
cheia de af谩veis para os estrangeiros
que deixam moedas e transportam pulgas,
oh pulgas lusitanas, pela Europa;

Continue lendo…

Poema da Morte na Estrada

Na berma da estrada, nuns quinhentos metros,
est茫o quinhentos mortos com os olhos abertos.

A morte, num sopro, colheu-os aos molhos.
Nem tiveram tempo para fechar os olhos.

Eles bem sabiam dos bancos da escola
como os homens dignos sucumbem na guerra.
L谩 saber, sabiam.
A m茫o firme empunhando a espada ou a pistola,
morrendo sem ceder nem um palmo de terra.

Pois 茅.
Mas veio de l谩 a bomba, fulgurante como mil s贸is,
n茫o lhes deu tempo para serem her贸is.

Eles bem sabiam que o 煤ltimo pensamento
devia estar reservado para a p谩tria amada.
L谩 saber, sabiam.
Mas veio de l谩 a bomba e destruiu tudo num s贸 momento.
N茫o lhes deu tempo para pensar em nada.

Agora,
na berma da estrada, nuns quinhentos metros,
s茫o quinhentos mortos com os olhos abertos.

A Guerra

E trope莽avam todos nalgum vulto,
quantos iam, febris, para morrer:
era o passado, o seu passado 鈥 um vulto
de esfinge ou de mulher.

Ca铆am como her贸is os que n茫o o eram,
pesados de infort煤nio e solid茫o.
(Arma secreta em cada cora莽茫o:
a tortura de tudo o que perderam.)

Inimigos n茫o tinham a n茫o ser
aquela nostalgia que era deles.
Mas lutavam!, son芒mbulos, imbeles,
s贸 na esp’ran莽a de ver, de ver e ter
de novo aquele vulto
鈥 imponder谩vel e oculto 鈥
de esfinge, ou de mulher.

Vencidos tornam-se Vencedores

S贸 os povos b谩rbaros aumentam subitamente ap贸s uma vit贸ria; s茫o como a vaidade passageira das torrentes opulentas com as 谩guas da tempestade.
Aos povos civilizados, por茅m, mormente no tempo em que vivemos, n茫o os eleva ou abate a boa ou m谩 fortuna de um capit茫o, porque o seu peso espec铆fico no g茅nero humano resulta de mais alguma coisa do que de um combate. Gra莽as a Deus, a sua honra, dignidade, luz e g茅nio n茫o s茫o n煤meros que os her贸is conquistadores, que s茫o verdadeiros jogadores, arrisquem na lotaria das batalhas. Muitas vezes a perda de uma batalha 茅 a conquista do progresso. Deslustra-se a gl贸ria, mas engrandece-se, alarga-se, torna-se mais ampla a liberdade; emudece o tambor para deixar falar a raz茫o. Jogo 茅 este, pois, em que quem perde ganha.

Aos Amores!

A vida que tudo arrasta os amores tamb茅m
uns d茫o 脿 costa, exaustos, outros vao mais al茅m
navegadores s贸 solit谩rios dois a dois
her贸is sem nome e at茅 por isso her贸is

Desde que o John partiu a Rosinha passa mal
vive na Loneley Street, Heartbreak Hotel, Portugal
ainda em si mora a doce mentira do amor
tomou-lhe o gosto ao provar-lhe o sabor

Os amores s茫o facas de dois gumes
t锚em de um lado a paix茫o, do outro os ci煤mes
s茫o desencantos que vivem encantados
como velas que ardem por dois lados

Aos amores!

No convento as novi莽as cantam as madrugadas
e a bela monja escreve cartas arrebatadas
“茅 por virtude tua que tu 茅s o meu v铆cio
por ti eu lan莽o os ventos ao precip铆cio”

O Rui da Casa Pia sabe que sabe amar
sopra na franja, maneira de se pentear
vai 脿 posta restante para ver quem lhe escreveu
foi uma bela monja que nunca conheceu

Aos amores!
(desordeiros irresist铆veis deleituosos entranhantes
verdadeiros evit谩veis buli莽osos como dantes
bicolores transgressores impostores cantadores)

A Marta,

Continue lendo…

As obras de um her贸i, postas a uma luz escura da raz茫o e da vontade, s茫o borr玫es que ofendem; 脿 melhor luz do entendimento s茫o primores que admiram.

A pr谩tica de uma qualquer virtude sup玫e a realiza莽茫o de uma grande quantidade de atos no mesmo sentido. N茫o h谩 her贸is de um gesto s贸. Ningu茅m chega a ser bom de um momento para o outro.