A Sociedade Destroça o Indivíduo

Trata-se dum conjunto, dum todo, a sociedade, e, podre, uma vez que √© preciso contar com ela ao mesmo tempo que se n√£o deve contar. Quer dizer, √© como um conjunto est√°vel, composto por elementos inst√°veis. Ora √© imposs√≠vel viver no interior, sem sofrer essa instabilidade, esse monte de mentiras. Surge ent√£o o medo de utilizar o m√≠nimo pormenor que participe dessa instabilidade. √Č a revolta. Voc√™ duvida do valor das palavras, dos gestos, do que representam as palavras, das ideias, das simples associa√ß√Ķes de ideias, dos sonhos e at√© da realidade, das sensa√ß√Ķes mais claras, mais agudas. Voc√™ duvida mesmo da sua d√ļvida, da organiza√ß√£o que toma, da forma que adopta. N√£o lhe fica nada, nada. J√° n√£o √© nada, √© um camale√£o, um eco, uma sombra. Isso √© obra da sociedade, compreende?

J.-M. G.