Frases sobre Graus de Masaharu Taniguchi

8 resultados
Frases de graus de Masaharu Taniguchi. As mais belas frases e mensagens de Masaharu Taniguchi para ler e compartilhar.

O amor em seu grau supremo é o amor que se manifesta naturalmente quando estamos com Deus. Portanto, os atos norteados por esse amor não nos deixa a mais leve sensação de que ‘nós próprios os praticamos’.

O caminho se abre quando há união. Quando o paciente e o médico se unem, abre-se o caminho da cura médica. O Caminho (Verdade) rege o Universo. Toda arte, ao atingir o grau máximo, torna-se Caminho (Verdade).

O grau de compreensão da Verdade varia de pessoa para pessoa, ainda que da mesma família; por isso, é diferente o destino de cada familiar. Não se pode dizer que, pelo fato de o marido compreender a Verdade, a mulher também a compreenderá. Os destinos dos filhos também são diferentes. Porém, em se tratando de bebês e crianças de pouca idade, que ainda não têm personalidade independente, seus destinos estão intimamente relacionados com o grau de compreensão da Verdade alcançada pelos pais, sobretudo pela mãe.

Quem ama visando a felicidade do próximo atingiu um grau de amor relativamente elevado. Apesar de não ser um amor interesseiro, a pessoa ficará desgostosa se o próximo não se mostrar feliz ou não perceber sua intenção.

Mesmo com papelão dobrado é possível quebrar uma espada, se aplicarmos um golpe com kiai, ou seja, concentração de uma intensa força de determinação. O êxito ou o fracasso na vida também depende do grau de determinação da pessoa.

No seu grau supremo, o amor é completamente livre do apego ao ‘eu’. Ele é totalmente despojado e não se apega a nada.

Num grau mais elevado de amor, a pessoa ama o próximo e quer vê-lo contente. Entretanto, apesar de não ser um amor interesseiro, ela se sentirá decepcionada ou triste se o próximo não se alegrar ou não perceber a sua boa intenção.

O amor em seu grau supremo é aquele em que a pessoa, mesmo tendo feito grande bem ao próximo, esquece-se do que fez. O que difere de mera simulação daquele que, quando alguém lhe agradece por algo, faz-se desentendido dizendo: ‘Puxa! Eu fiz isso? Já nem me lembro…’.