Cita√ß√Ķes sobre Ambiciosos

40 resultados
Frases sobre ambiciosos, poemas sobre ambiciosos e outras cita√ß√Ķes sobre ambiciosos para ler e compartilhar. Leia as melhores cita√ß√Ķes em Poetris.

√öltima Folha

Musa, desce do alto da montanha
Onde aspiraste o aroma da poesia,
E deixa ao eco dos sagrados ermos
A √ļltima harmonia.

Dos teus cabelos de ouro, que beijavam
Na amena tarde as vira√ß√Ķes perdidas,
Deixa cair ao ch√£o as alvas rosas
E as alvas margaridas.

Vês? Não é noite, não, este ar sombrio
Que nos esconde o céu. Inda no poente
N√£o quebra os raios p√°lidos e frios
O sol resplandecente.

Vês? Lá ao fundo o vale árido e seco
Abre-se, como um leito mortu√°rio;
Espera-te o silêncio da planície,
Como um frio sud√°rio.

Desce. Vir√° um dia em que mais bela,
Mais alegre, mais cheia de harmonias,
Voltes a procurar a voz cadente
Dos teus primeiros dias.

Então coroarás a ingênua fronte
Das flores da manh√£, ‚ÄĒ e ao monte agreste,
Como a noiva fant√°stica dos ermos,
Ir√°s, musa celeste!

Ent√£o, nas horas solenes
Em que o místico himeneu
Une em abraço divino
Verde a terra, azul o céu;

Quando, j√° finda a tormenta
Que a natureza enlutou,

Continue lendo…

E que me restar√°… se me desprezar a mim mesmo? Fui ambicioso e n√£o quero absolutamente censurar-me por isso; agi, ent√£o segundo as conveni√™ncias da √©poca. Agora vivo o dia-a-dia. Mas √† vista do mundo, eu me sentiria muito infeliz, se ca√≠sse em alguma covardia.

O mundo é capaz de prover para todos o suficiente às suas necessidades básicas. Mas, não é grande o bastante para prover os desejos de uma só mente ambiciosa

A sociedade tem quatro variedades: os amantes, os ambiciosos, os observadores e os loucos. Estes s√£o os mais felizes.

Os Dois Horizontes

Dois horizontes fecham nossa vida:

Um horizonte, ‚ÄĒ a saudade
Do que n√£o h√° de voltar;
Outro horizonte, ‚ÄĒ a esperan√ßa
Dos tempos que h√£o de chegar;
No presente, ‚ÄĒ sempre escuro,‚ÄĒ
Vive a alma ambiciosa
Na ilus√£o voluptuosa
Do passado e do futuro.

Os doces brincos da inf√Ęncia
Sob as asas maternais,
O v√īo das andorinhas,
A onda viva e os rosais;
O gozo do amor, sonhado
Num olhar profundo e ardente,
Tal é na hora presente
O horizonte do passado.

Ou ambição de grandeza
Que no espírito calou,
Desejo de amor sincero
Que o coração não gozou;
Ou um viver calmo e puro
À alma convalescente,
Tal é na hora presente
O horizonte do futuro.

No breve correr dos dias
Sob o azul do c√©u, ‚ÄĒ tais s√£o
Limites no mar da vida:
Saudade ou aspiração;
Ao nosso espírito ardente,
Na avidez do bem sonhado,
Nunca o presente é passado,
Nunca o futuro é presente.

Que cismas, homem? ‚Äď Perdido
No mar das recorda√ß√Ķes,

Continue lendo…

Quem Quiser Acabar com a Guerra

Quem quiser, de facto, acabar com a guerra tem que intervir resolutamente para que o Estado a que pertence renuncie a uma parte da sua soberania a favor de institui√ß√Ķes internacionais; deve estar pronto a submeter o pr√≥prio Estado, em caso de qualquer conflito, √† arbitragem dum Tribunal internacional; tem de intervir com toda a decis√£o para que todos os Estados procedam ao desarmamento, conforme est√° previsto at√© mesmo no desgra√ßado tratado de Versalhes; nenhum progresso poder√° esperar-se se n√£o for suprimida a educa√ß√£o militar e patri√≥tica ‚ÄĒ no sentido agressivo ‚ÄĒ do povo.
Nenhum outro acontecimento dos √ļltimos anos foi mais vergonhoso para os Estados actualmente mais considerados, que o malogro das anteriores confer√™ncias de desarmamento; pois esse malogro n√£o assenta apenas nas intrigas de estadistas ambiciosos e sem escr√ļpulos, mas tamb√©m na indiferen√ßa e falta de energia dos homens de todos os pa√≠ses. Se isto n√£o se modificar, destruiremos o que os nossos antepassados criaram de verdadeiramente valioso.

Tanto a ciência como a religião estão muito atrasadas e são, desproporcionalmente, arrogantes e ambiciosas de mais, querendo ou sonhando explicar tudo o que é, sempre foi e manter-se-á incompreensível. Para o nosso bem ou mal: não somos capazes de fazer ideia.

O Amor Verdadeiro Não Pensa Senão em Si Próprio

O primeiro amor dum homem que entre na sociedade √© geralmente um amor ambicioso. Raramente esse amor se declara por uma rapariga doce, am√°vel e inocente. Como tremer, adorar, sentir-se em presen√ßa duma divindade? Um adolescente tem necessidade de amar um ser cujas qualidades o elevem aos seus pr√≥prios olhos. √Č no decl√≠nio da vida que voltamos tristemente a amar o simples e o inocente, desesperando do que √© sublime. Entre os dois, existe o amor verdadeiro, que n√£o pensa sen√£o em si pr√≥prio.

A Verdadeira Liberdade do Homem

Nunca acreditei que a liberdade do homem consiste em fazer o que quer, mas sim em nunca fazer o que n√£o quer, e foi essa liberdade que sempre reclamei, que muitas vezes conservei, e me tornou mais escandaloso aos olhos dos meus contempor√Ęneos. Porque eles, activos, inquietos, ambiciosos, detestando a liberdade nos outros e n√£o a querendo para si pr√≥prios, desde que por vezes fa√ßam a sua vontade, ou melhor, desde que dominem a de outrem, obrigam-se durante toda a sua vida a fazer o que lhes repugna, e n√£o descuram todo e qualquer servilismo que lhes permita dominar.

Ad Amicos

Em vão lutamos. Como névoa baça,
A incerteza das coisas nos envolve.
Nossa alma, em quanto cria, em quanto volve,
Nas suas próprias redes se embaraça.

O pensamento, que mil planos traça,
√Č vapor que se esvae e se dissolve;
E a vontade ambiciosa, que resolve,
Como onda entre rochedos se espedaça.

Filhos do Amor, nossa alma é como um hino
À luz, à liberdade, ao bem fecundo,
Prece e clamor d’um presentir divino;

Mas n’um deserto s√≥, √°rido e fundo,
Ecoam nossas vozes, que o Destino
Paira mudo e impassível sobre o mundo.

Eis um artista ambicioso; limita-se a ser ambicioso; a sua obra não é mais do que um vidro de aumento que estende a quem quer que a olha.