Citação de

O Acaso Introduz e Acaba as Nossas AcçÔes

É de um sadismo soberbo pensar que deverĂ­amos ser julgados pelas nossas boas e mĂĄs acçÔes, uma vez que sĂł de um pequenĂ­ssimo nĂșmero das nossas acçÔes podemos decidir. O acaso cego, que se distingue da justiça cega pelo simples facto de ainda nĂŁo usar venda, introduz e acaba as nossas acçÔes; o que podemos fazer e, bem entendido, o que devemos fazer, em virtude da existĂȘncia tantas vezes negada da nossa consciĂȘncia, Ă© deixarmo-nos arrastar numa certa direcção e mantermo-nos depois nessa direcção enquanto conservamos os olhos abertos e estamos conscientes de que o fim em geral Ă© uma ilusĂŁo, pelo que o fundamental Ă© a direcção que mantivermos, pois sĂł ela se encontra sob o nosso controlo, sob o controlo do nosso miserĂĄvel eu. E a lucidez, sim, a lucidez, os olhos abertos fitando sem medo a nossa terrĂ­vel situação devem ser a estrela do eu, a nossa Ășnica bĂșssola, uma bĂșssola que cria a direcção, porque sem bĂșssola nĂŁo hĂĄ direcção. Mas se me disponho agora a acreditar na direcção, passo a duvidar dos testemunhos relativos Ă  maldade humana, uma vez que no interior de uma mesma direcção – em si mesma excelente – podem existir correntes boas e mĂĄs.