Frases sobre Inveja

111 resultados
Frases de inveja escritos por poetas consagrados, filósofos e outros autores famosos. Conheça estes e outros temas em Poetris.

O que menos importa a uma mulher é que o seu vestido agrade aos homens; ela veste-o para outras mulheres, e a inveja destas é a aprovação que mais lhe agrada.

A aprovação que concedemos àqueles que são admitidos na sociedade tem origem, muitas vezes, na secreta inveja que nos inspiram aqueles que nela estão firmemente estabelecidos.

Muitos diferentes visos fazem as acções generosas aos olhos da inveja, conforme a luz a que se opõe, e logo se vêem com agrados ou com defeitos.

Não invejo casais individuais, invejo todos os casais; e mesmo quando tenho inveja de um casal isoladamente, é a felicidade da vida de casado em geral, em toda a sua infinita variedade, que eu invejo – a felicidade que se encontra em qualquer casamento, até no caso mais provável, iria certamente lançar-me no desespero.

A inveja e o ciúme e a ambição e o egoísmo só são maus quando se lida mal com eles – quando são transformados, todos eles, em reles ressabiamento.

Duas caras tem a inveja: uma com que no interior se entristece e outra com que no exterior se dissimula.

O descontentamento, a avareza, a ira, a inveja, a mente conflituosa, a mente desarmônica – todos são causadores de males.

Eis minha dama. Oh, sim! É o meu amor. Surge, formoso sol, e mata a lua cheia de inveja, que se mostra pálida e doente de tristeza, por ter visto que és mais formosa que ela!

A inveja que fala e que grita, é sempre desastrada; a inveja que se cala, é a verdadeiramente temível.

Sabe-se que enquanto vivemos estamos mais ou menos expostos à inveja, mas depois da nossa morte os nossos inimigos deixam de nos odiar.

É consequência própria e natural da inveja, perseguir os presentes e estimar os passados, matar os vivos e celebrar os mortos.

Os poderosos devem saber que à sombra deles cresce inevitavelmente, mais perigoso que a inveja, o ressentimento daqueles mesmos que vivem dos seus favores.

Tu, de quantos dragões o Inferno encerra,
És o pior, Inveja pestilente!
Morde a virtude, ao mérito faz guerra
Teu detestável, teu maligno dente.