Frases sobre Livros

571 resultados
Frases de livros escritos por poetas consagrados, filósofos e outros autores famosos. Conheça estes e outros temas em Poetris.

O que censuro aos jornais é fazer-nos prestar atenção todos os dias a coisas insignificantes, ao passo que nós lemos três ou quatro vezes na vida os livros em que há coisas essenciais.

Vivermos no mundo sem tomarmos consciência do significado do mundo é como vaguear numa grande biblioteca sem tocar nos livros.

Um homem de leitura deve ser um homem intensamente vivo. O livro deve ser uma bola de luz em sua m√£o.

Os livros, que nós tomamos como consolação, apenas acrescentam profundidade ao nosso lamento.

Na minha opinião, ser escritor não é apenas escrever livros, é muito mais uma atitude perante a vida, uma exigência e uma intervenção.

Tenho dois livros: um de prosa, outro de versos, na gaveta, onde provavelmente ficarão todo o resto da minha vida, pois a minha incapacidade perante a vida prática é cada vez maior, e a minha triste qualidade de inadaptável é cada vez mais forte.

Há livros de que apenas é preciso provar, outros que têm de se devorar, outros, enfim, mas são poucos, que se tornam indispensáveis, por assim dizer, mastigar e digerir.

Toda a inven√ß√£o √© mem√≥ria. (…) Quem nos arranja os materiais √© a mem√≥ria. As tais coisas de que a gente n√£o fala e aparecem nos livros, de maneiras desviadas.

Apenas se deveriam ler os livros que nos picam e que nos mordem. Se o livro que lemos n√£o nos desperta como um murro no cr√Ęnio, para qu√™ l√™-lo?

A leitura de todos os bons livros é uma conversação com as mais honestas pessoas dos séculos passados.

Um livro de contos √© um livro ligeiro de emo√ß√Ķes curtas: deve portanto ser leve, port√°til, f√°cil de se levar na algibeira para debaixo de uma √°rvore, e confort√°vel para se ter √† cabeceira da cama. N√£o pode ter o formato dum relat√≥rio, que, sendo destinado em definitivo a embrulhar objectos, deve ter de antem√£o o tamanho c√≥modo do papel de embrulho; nem pode ter o volume dum calhama√ßo de erudi√ß√£o hist√≥rica, impresso com o fim de ornamentar uma biblioteca.

As obras de arte devem falar ¬ępor si mesmas¬Ľ, explicar-se ¬ępor si mesmas¬Ľ, sem terem necessidade de p√īr ao lado um cicerone. Acompanhar um livro de versos de cr√≠tica ¬ęj√° feita¬Ľ √© querer impor um guia √† emo√ß√£o do leitor. O leitor detesta isso.

Escrevo com dificuldade, sou muito lento, o que parece paradoxal em rela√ß√£o ao n√ļmero de livros que j√° publiquei. Mas, se n√£o escrevo, √© como se me vestisse sem tomar banho. Um grande desconforto interior.

O verdadeiro lugar de nascimento é aquele em que lançamos pela primeira vez um olhar inteligente sobre nós mesmos: minhas primeiras pátrias foram os livros. Em menor escala, as escolas.

Cada um tem o seu passado fechado em si, tal como um livro que se conhece de cor, livro de que os amigos apenas levam o título.