Passagens sobre Infelicidade

158 resultados
Frases sobre infelicidade, poemas sobre infelicidade e outras passagens sobre infelicidade para ler e compartilhar. Leia as melhores cita√ß√Ķes em Poetris.

Deves pensar: ‚ÄėTudo √© bem-vindo. Aceito tudo, at√© as coisas ruins, pois posso transform√°-las em ‚Äėnutrientes‚Äô para meu crescimento. Sofrimento, infelicidade, tudo enfim √© bom para o homem‚Äô. Quando conseguires pensar assim, notar√°s com surpresa que j√° n√£o existem para ti nem sofrimento nem infelicidade.

Muitas vezes julgamo-nos constantes nas infelicidades quando apenas sentimos des√Ęnimo, e sofremo-las sem ousar olh√°-las de frente, como os poltr√Ķes que se deixam matar por medo de se defenderem.

A Alma Transforma-se em Sensa√ß√Ķes

Eis um efeito que me será contestado, e que só apresento aos homens que, digamos, são bastante infelizes para terem amado com paixão durante longos anos, dum amor contrariado por obstáculos invencíveis:
A vista de tudo o que √© extremamente belo, tanto na natureza como nas artes, traz-nos a recorda√ß√£o do que amamos, com a rapidez de um rel√Ęmpago. √Č que, pelo processo do ramo de √°rvore guarnecido de diamantes da mina de Salzburgo, tudo o que no mundo √© belo e sublime faz parte da beleza do que amamos, e esta vis√£o imprevista da felicidade enche-nos os olhos de l√°grimas num instante. √Č assim que o amor do belo e o amor se d√£o vida um ao outro.
Uma das infelicidades da vida √© que a ventura de ver a quem amamos e de lhe falar n√£o deixa recorda√ß√Ķes distintas. Aparentemente, a alma est√° demasiado perturbada pelas suas emo√ß√Ķes para poder prestar aten√ß√£o ao que as causa ou as acompanha. Transforma-se na pr√≥pria sensa√ß√£o. √Č talvez porque estes prazeres n√£o se podem renovar sempre que queremos, por simples for√ßa de vontade, que se renovam com tanta for√ßa, desde que um objecto qualquer nos venha tirar da medita√ß√£o consagrada √† mulher que amamos,

Continue lendo…

Pensar que o sofrimento seja infelicidade é um engano da mente apegada ao corpo carnal. Aquele que compreende o quanto o sofrimento é benéfico para o progresso da alma, consegue agradecer até memo a ele.

Viver com fé é entregar-se totalmente à Providência; é viver sem se prender às aparentes felicidades e infelicidades; é viver acreditando que, graças à Providência Divina, mesmo um acontecimento infeliz contém nutrientes necessários para o desenvolvimento da alma.

Sou feliz só por preguiça. A infelicidade dá uma trabalheira pior que doença: é preciso entrar e sair dela, afastar os que nos querem consolar, aceitar pêsames por uma porção da alma que nem chegou a falecer.

√Č uma infelicidade que existam t√£o poucos intervalos entre o tempo em que somos demasiado novos e o tempo em que somos demasiado velhos.

O Amor é um Exagerador

As coisas boas, como o amor e a sabedoria, n√£o trazem a felicidade pela simples raz√£o que as coisas boas t√™m, para ser boas, de ser ¬ęboas por si mesmas¬Ľ. N√£o podem ser boas por aquilo que trazem. Pelo contr√°rio, t√™m um pre√ßo. O mais das vezes, o pre√ßo do amor e da sabedoria, ambos artigos finos, artigos de luxo, coisas boas, √© a infelicidade. Quando se ama, ou quando se estuda muito, fica-se sujeito √†s vontades e √†s verdades mais alheias. Nada depende quase nada de n√≥s. E sofre-se. Irritam as pessoas que esperam que o amor traga a felicidade. √Č como esperar que os morangos tragam as natas. O amor n√£o √© um meio para atingir um fim ‚ÄĒ n√£o √© atrav√©s do amor que se chega √† felicidade. O amor √© um exagerador ‚ÄĒ exagera os √™xtases e as agonias, torna tudo o que n√£o lhe diz respeito (o mundo inteiro) numa coisa pequenina. Assim como a arte tem de ser pela arte e a ci√™ncia pela ci√™ncia (seria um horror ouvir algu√©m dizer ¬ęEu quero ser pintor ou bi√≥logo para ganhar muito dinheiro e ir a muitas festas e ter duas carrinhas Volvo com galgos do Afeganist√£o l√° dentro¬Ľ),

Continue lendo…

Se Eu Pudesse Trincar a Terra Toda

Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento …
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
√Č preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural…
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem n√£o estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva …
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente √© belo e √© bela a noite que fica…
Assim √© e assim seja …

A maior parte dos homens do mundo, por vaidade, por desconfiança, por medo da infelicidade, só se entregam ao amor de uma mulher após a intimidade.

O Defeito dos Homens Activos

Aos activos falta, habitualmente, a actividade superior: refiro-me √† individual. Eles s√£o activos enquanto funcion√°rios, comerciantes, eruditos, isto √©, como seres gen√©ricos, mas n√£o enquanto pessoas perfeitamente individualizadas e √ļnicas; neste aspecto, s√£o indolentes. A infelicidade das pessoas activas √© a sua actividade ser quase sempre um tanto absurda. N√£o se pode, por exemplo, perguntar ao banqueiro, que junta dinheiro, qual o objectivo da sua incans√°vel actividade: ela √© irracional. Os homens activos rebolam como rebola a pedra, em conformidade com a estupidez da mec√Ęnica. Todos os homens se dividem, como em todos os tempos tamb√©m ainda actualmente, em escravos e livres; pois quem n√£o tiver para si dois ter√ßos do seu dia √© um escravo, seja ele, de resto, o que quiser: pol√≠tico, comerciante, funcion√°rio, erudito.

A Import√Ęncia de uma Resolu√ß√£o Forte

Uma resolução forte muda no mesmo instante a maior infelicidade num estado suportável. À tarde, depois de uma batalha perdida, um homem foge a toda a velocidade, num cavalo meio-morto; ouve distintamente o galope do grupo de cavaleiros, volta a carregar a carabina e as pistolas, e toma a resolução de se defender. No mesmo instante, em vez de ver a morte, vê a cruz da legião de Honra.

A Felicidade é tão Cansativa como a Infelicidade

Toda a gente tem o seu m√©todo de interpretar a seu favor o balan√ßo das suas impress√Ķes, para que da√≠ resulte de algum modo aquele m√≠nimo de prazer necess√°rio √†s suas exist√™ncias quotidianas, o suficiente em tempos de normalidade. O prazer da vida de cada um pode ser tamb√©m constitu√≠do por desprazer, essas diferen√ßas de ordem material n√£o t√™m import√Ęncia; sabemos que existem tantos melanc√≥licos felizes como marchas f√ļnebres, que pairam t√£o suavemente no elemento que lhes √© pr√≥prio como uma dan√ßa no seu. Talvez tamb√©m se possa afirmar, ao contr√°rio, que muitas pessoas alegres de modo nenhum s√£o mais felizes do que as tristes, porque a felicidade √© t√£o cansativa como a infelicidade; mais ou menos como voar, segundo o princ√≠pio do mais leve ou mais pesado do que o ar. Mas haveria ainda uma outra objec√ß√£o: n√£o ter√° raz√£o aquela velha sabedoria dos ricos segundo a qual os pobres n√£o t√™m nada a invejar-lhes, j√° que √© pura fantasia a ideia de que o seu dinheiro os torna mais felizes? Isso s√≥ lhes imporia a obriga√ß√£o de encontrar um sistema de vida diferente do seu, cujo or√ßamento, em termos de prazer, fecharia apenas com um m√≠nimo excedente de felicidade,

Continue lendo…

Serenidade Desperta

Tenho tanta coisa para fazer. Pois, mas aquilo que faz, f√°-lo com qualidade? Conduzir at√© ao emprego, falar com os clientes, trabalhar no computador, fazer recados, lidar com os incont√°veis afazeres que preenchem a sua vida quotidiana – at√© que ponto √© que se entrega √†s coisas que faz? E realiza-as com entrega, sem resist√™ncia, ou, pelo contr√°rio, sem se entregar e resistindo √† ac√ß√£o? √Č isto que determina o sucesso na vida e n√£o a dose de esfor√ßo que se despende. O esfor√ßo implica stresse e desgaste f√≠sico, implica a necessidade absoluta de atingir um determinado objectivo ou de alcan√ßar um determinado resultado.

√Č capaz de detectar dentro de si at√© a mais pequena sensa√ß√£o de n√£o quererestar a fazer aquilo que est√° a fazer? Isso √© uma nega√ß√£o da vida e, desse modo, n√£o ser√° poss√≠vel obter resultados verdadeiramente bons.

Se for capaz de descobrir aquela sensa√ß√£o, ser√° que tamb√©m consegue abdicar dela e entregar–se completamente √†quilo que faz?

‚ÄúFazer uma coisa de cada vez”, foi assim que um Mestre Zen definiu o esp√≠rito da filosofia Zen.

Fazer uma coisa de cada vez significa estar nela por inteiro, concentrar nela toda a sua atenção.

Continue lendo…