Citação de

A Raiz do Vício

Um v√≠cio, apesar de ser uma terr√≠vel depend√™ncia e um p√©ssimo h√°bito, √© um escape maravilhoso e uma profunda ilus√£o acerca do ¬ęsentir bem¬Ľ. Quando n√£o tens nada para fazer ou n√£o sabes como te acalmar fumas uns cigarros ou coisas do g√©nero, entopes-te de comida, bebes uns copos e assim andas sempre ocupado e falsamente tranquilo, pois ap√≥s o efeito seja do que for voltas ao mesmo estado em que te encontravas. Perd√£o, n√£o me fiz entender bem: fumas sem vontade de fumar, comes sem vontade de comer e bebes sem vontade de beber. Isto √© ser viciado, √© pura polui√ß√£o, sobretudo quando n√£o existe um desejo natural de faz√™-lo. Esclarecido? √ďtimo. J√° percebeste o teu desafio? N√£o, n√£o √© deixares de ser um viciado, isso n√£o √© um problema porque tens consci√™ncia que o √©s, logo, podes mudar quando entenderes apaixonar-te por ti, o problema √© outro e, se queres saber, bem mais s√©rio. Consegues descobri-lo? Era excelente se o dissesses antes de me leres: significaria que tamb√©m j√° estarias consciente disso e, nesse sentido, deixaria de ser mais um problema na tua vida. Os problemas s√£o, √ļnica e exclusivamente, fruto da inconsci√™ncia, pois quando se tem consci√™ncia do que se passa j√° n√£o √© um problema, √© uma escolha parva. E gente parva √© o que n√£o falta por a√≠.

Ent√£o, j√° est√°? J√° ganhaste consci√™ncia daquilo que precisas de trabalhar? Se sim, parab√©ns, j√° erradicaste mais um problema dos teus dias, se n√£o, vamos a isto, vou facilitar-te a vida. O teu problema, como j√° to escrevi, n√£o √© o v√≠cio que possas ter, mas o desconforto atroz de estar sem fazer nada ou a agonia de andares sempre a mil. √Č por te sentires mal quando est√°s sem fazer nada e sempre a correr de um lado para o outro que acabas contigo. E se leste tudo com aten√ß√£o at√© aqui, j√° sabes de que aspeto teu estou a falar, certo? A tua mente, pois claro. Foges da mente para te encharcar de veneno.