Citação de

A Felicidade é uma Interrupção de Futilidade

É nas decisĂ”es fĂșteis, das quais nem a vida nem o estado de espĂ­rito depende, que reside a felicidade.
São estes os dias felizes, que Beckett invoca e amaldiçoa, por terem passado, na peça que tem o mesmo nome. Somos sobressaltados por ninharias, que conseguem fazer-se passar por importantes, como escolher entre uma camisa do verde do mar ou do azul do céu.
As decisĂ”es fĂșteis, quando a cabeça Ă© desocupada daquilo que a preocupa, para se ocupar de uma ninharia, como decidir entre o ruivo ou o rascasso ou entre a pĂȘra -pĂ©rola e a carapinheira, sĂŁo o indĂ­cio seguro da felicidade. Se a escolha primĂĄria Ă© entre continuar a viver e deixar de viver e as escolhas secundĂĄrias sĂŁo afluentes da primeira, devemos dar graças.
São uma sorte temporåria e alegre a oportunidade e a ocupação mental que nos permitem pensar mais naquilo que nos interessa, sem interessar, do que naquilo que nos deveria interessar, caso estivéssemos tão aflitos que não conseguíssemos pensar noutra coisa senão sobreviver.
Quanto mais tempo perdermos nas escolhas e nas questĂ”es de que nĂŁo dependem as nossas vidas ou as nossas almas – naquelas que nĂŁo interessam, a bem ver, nem a umas nem a outras – maior Ă© a nossa felicidade.
O luxo é não escolher. A felicidade é uma interrupção de futilidade. A felicidade é uma falta de importùncia.