Frases sobre Cidade

85 resultados
Frases de cidade escritos por poetas consagrados, filósofos e outros autores famosos. Conheça estes e outros temas em Poetris.

Seja em lugares remotos ou em cidades populosas, todos trabalhamos e lutamos pelo mesmo objectivo fundamental. Enquanto o fazemos, n√£o podemos esquecer que √© importante seguir um m√©todo correto para atingir nosso objectivo ‚Äď pois o m√©todo √© que √© importante.

Boas estradas, canais e rios naveg√°veis, diminuindo a despesa de transporte, colocam as regi√Ķes remotas de um pa√≠s em um n√≠vel mais pr√≥ximo do daquelas nas vizinhan√ßas das cidades. Por causa disso, representam as maiores de todas as melhorias.

Como errado √© citar os romanos em cada turno. Para qualquer compara√ß√£o ser v√°lida, seria necess√°rio ter uma cidade com condi√ß√Ķes como a deles, e depois para govern√°-la de acordo com o seu exemplo.

Há, em certas cidades de província, casas cuja vista inspira uma melancolia igual à que provocam os claustros mais sombrios, as charnecas mais desoladas ou as ruínas mais tristes.

A lua batia nas árvores, algumas nuvens erravam por entre as estrelas pálidas, o mar falava às coisas da sombra, a meia voz, a cidade dormia, do horizonte subia uma neblina, a melancolia era profunda.

Por esse intrincado labirinto de ruas e bibocas √© que vive uma grande parte da popula√ß√£o da cidade, a cuja exist√™ncia o governo fecha os olhos, embora lhe cobre atrozes impostos, empregados em obras in√ļteis e suntu√°rias noutros pontos do Rio de Janeiro.

Todos os amores começam assim. No silêncio de um olhar, no silêncio de uma mão dependente da outra, de outra mão vadia a vaguear pela cidade nocturna do teu corpo, no silêncio dos lábios trincados, trocados, massajados, abraçados e voltados a abraçar. Todos os amores são silêncio estendido.

O caçador furtivo vive nas matas; o contrabandista nas montanhas ou no mar. As cidades produzem homens ferozes porque corrompem. A montanha, o mar e a mata, criam homens selvagens.

Quando me pergunto porque escrevo eu respondo: para me familiarizar com os deuses que eu não tenho. Os meus antepassados estão enterrados em outro lugar distante, algures no Norte de Portugal. Eu não partilho de sua intimidade e, mais grave ainda, eles me desconhecem inteiramente. As duas partes de mim exigiam um médium, um tradutor. A poesia veio em meu socorro para criar essa ponte entre dois mundos. E a cidade, a minha casa, a minha família: esses foram os aconchegos em que a poesia em mim nasceu.

Amanh√£ tamb√©m eu ‚Äď a alma que sente e pensa, o universo que sou para mim ‚Äď sim, amanh√£ eu tamb√©m serei o que deixou de passar nestas ruas (‚Ķ) E tudo quanto fa√ßo, tudo quanto sinto, tudo quanto vivo, n√£o ser√° mais que um transeunte a menos na quotidianidade de ruas de uma cidade qualquer.

Mas soada a hora de a√ß√£o, o mineiro se agita, n√£o teme surpresas e as suas arrancadas conservam a impetuosidade dos fen√īmenos s√≠smicos e ele desafia as intemp√©ries, enfrenta o pat√≠bulo, planta institui√ß√Ķes, rasga os c√©us, inova a ci√™ncia, aprimora a arte, planta cidades, prega e faz revolu√ß√Ķes.

Deus escolheu nascer e crescer numa fam√≠lia humana, n√£o numa grande cidade, mas numa periferia quase invis√≠vel, at√©, ali√°s, mal-afamada. Os pr√≥prios Evangelhos o recordam, quase como uma maneira de dizer: ¬ęDe Nazar√© pode vir alguma coisa boa?¬Ľ (Jo√£o 1:46).

Oran, na aparência, é uma cidade que não pensa, isto é, uma cidade perfeitamente moderna.