Citação de

O Saber Altera a Economia de um Ser

O que aprendemos por nós próprios, seja que conhecimento for extraído do nosso próprio fundo, é algo que teremos que expiar por um suplemento de desequilíbrio. Fruto de uma desordem íntima, de uma doença definida ou difusa, de uma perturbação na raiz da nossa existência, o saber altera a economia de um ser. Cada um de nós terá que pagar pelo mais pequeno golpe que vibra num universo criado para a indiferença e para a estagnação; cedo ou tarde, arrepender-se-á, arrepender-nos-emos, de o não ter, ou de o não termos, deixado intacto.
O que sendo verdade para o conhecimento é mais verdade ainda para a ambição, porque invadir o terreno de outrem acarreta consequências mais graves e mais imediatas do que invadir o terreno do mistério ou simplesmente da matéria.
Come√ßamos por fazer tremer os outros, mas os outros acabam por nos comunicar os seus terrores. √Č por isso que os tiranos, tamb√©m eles, vivem no pavor. O que o nosso futuro senhor h√°-de conhecer ser√° sem d√ļvida exacerbado por uma felicidade sinistra, como ningu√©m experimentou compar√°vel, √† medida do solit√°rio por excel√™ncia, erguido diante da humanidade toda, semelhante a um deus entronizado no medo, num p√Ęnico omnipotente, sem come√ßo nem fim, cumulando a acidez de um Prometeu e os melindres de um Jeov√°, esc√Ęndalo para a imagina√ß√£o e para o pensamento, desafio lan√ßado √† mitologia e √† teologia.

Depois dos monstros aquartelado numa cidade, num reino ou num imp√©rio, √© natural que surjam outros mais poderosos, a favor de um desastre, da liquida√ß√£o das na√ß√Ķes e das nossas liberdades. Quadro onde consumamos o contr√°rio das nossas aspira√ß√Ķes, onde as desfiguramos sem descanso, a Hist√≥ria n√£o √© por certo de ess√™ncia ang√©lica. Quando a consideramos, concebemos apenas um desejo: promover a amargura √† dignidade de uma gnose.