Citação de

Talento não é Sabedoria

Deixa-me dizer-te francamente o ju√≠zo que eu formo do homem transcendente em g√©nio, em estro, em fogo, em originalidade, finalmente em tudo isso que se inveja, que se ama, e que se detesta, muitas vezes. O homem de talento √© sempre um mau homem. Alguns conhe√ßo eu que o mundo proclama virtuosos e s√°bios. Deix√°-los proclamar. O talento n√£o √© sabedoria. Sabedoria √© o trabalho incessante do esp√≠rito sobra a ci√™ncia. O talento √© a vibra√ß√£o convulsiva de esp√≠rito, a originalidade inventiva e rebelde √† autoridade, a viagem ext√°tica pelas regi√Ķes inc√≥gnitas da ideia. Agostinho, F√©nelon, Madame de Sta√ęl e Bentham s√£o sabedorias. Lutero, Ninon de Lenclos, Voltaire e Byron s√£o talentos.
Compara as vicissitudes dessas duas mulheres e os servi√ßos prestados √† humanidade por esses homens, e ter√°s encontrado o antagonismo social em que lutam o talento com a sabedoria. Porque √© mau o homem de talento ? Essa bela flor porque tem no seio um espinho envenenado ? Essa espl√™ndida ta√ßa de brilhantes e ouro porque √© que cont√©m o fel, que abrasa os l√°bios de quem a toca ? Aqui tens um tema para trabalhos superiores √† cabe√ßa de uma mulher, ainda mesmo refor√ßada por duas d√ļzias de cabe√ßas acad√©micas ! Lembra-me ouvir dizer a um doido que sofria por ter talento. Pedi-lhe as circunst√Ęncias do seu mart√≠rio sublime, e respondeu-me o seguinte com a mais profunda convic√ß√£o, e a mais tocante solenidade filos√≥fica : os talentos s√£o raros, e os est√ļpidos s√£o muitos. Os est√ļpidos guerreiam barbaramente o talento : s√£o os v√Ęndalos do mundo espiritual. O talento n√£o tem partido nesta peleja desigual. Foge, dispara na retirada um tiroteio de sarcasmos pungentes, e, por fim, isola-se, segrega-se do contacto do mundo, e curte em sil√™ncio aquele fel de vingan√ßa, que, mais cedo ou mais tarde, cospe na cara de algum inimigo, que encontra desviado do corpo do ex√©rcito. A√≠ tem a raz√£o por que o homem de talento √© perigoso na sociedade. O √≥dio inspira-lhe a eloqu√™ncia da trai√ß√£o.