Citação de

A Superficialidade dos Grandes Espíritos

N√£o h√° nada de mais perigoso para o esp√≠rito do que a sua rela√ß√£o com as grandes coisas. Algu√©m deambula por uma floresta, sobe a um monte e v√™ o mundo estendido a seus p√©s, olha para um filho que lhe colocam pela primeira vez nos bra√ßos, ou desfruta da felicidade de assumir uma posi√ß√£o invejada por todos. Perguntamos: o que se passa nele em tais momentos? Ele pr√≥prio certamente pensa que s√£o muitas coisas, profundas e importantes; mas n√£o tem presen√ßa de esp√≠rito suficiente para, por assim dizer, as tomar √† letra. O que h√° de admir√°vel, diante dele e fora dele, que o encerra numa esp√©cie de gaiola magn√©tica, arranca os pensamentos do seu interior. O seu olhar perde-se em mil pormenores, mas ele tem a secreta sensa√ß√£o de ter esgotado todas as muni√ß√Ķes. L√° fora, esse momento inspirado, solar, profundo, essa grande hora, recobre o mundo com uma camada de prata galvanizada que penetra todas as folhinhas e veias; mas na outra extremidade em breve se come√ßa a notar uma certa falta de subst√Ęncia interior, e nasce a√≠ uma esp√©cie de grande ¬ęO¬Ľ, redondo e vazio. Este estado √© o sintoma cl√°ssico do contacto com tudo o que √© eterno e grande, bem como da perman√™ncia nos p√≠ncaros da Humanidade e da Natureza. Aqueles que se comprazem na companhia das grandes coisas – e entre eles contam-se, naturalmente, as grandes almas, para as quais as pequenas coisas n√£o existem – v√™em a sua vida interior ser esvaziada e transformada numa imensa superficialidade.
Por isso, tamb√©m se poderia ver nessa liga√ß√£o √†s grandes coisas uma lei de sobreviv√™ncia da mat√©ria espiritual, lei essa que parece ter uma validade bastante universal. Os discursos de pessoas em posi√ß√Ķes de destaque, que agem em mundos de grandeza, s√£o em geral mais vazios de conte√ļdo do que os nossos. Os pensamentos demasiado pr√≥ximos de objectos especialmente elevados mostram-se geralmente muito limitados sem o apoio desse privil√©gio. As causas que nos s√£o mais caras – a na√ß√£o, a paz, a humanidade, a virtude e outras igualmente estim√°veis – arrastam consigo a mais med√≠ocre flora intelectual. Esse seria um mundo √†s avessas. Mas se admitirmos que o tratamento de um tema pode ser tanto mais insignificante quanto mais significativo esse tema for, ent√£o estamos num mundo perfeitamente em ordem.