Citação de

A Tirania Individual e a Tirania Colectiva

As diverg√™ncias de opini√£o n√£o resultam, como por vezes supomos, das desigualdades de instru√ß√£o daqueles que as manifestam. Elas notam-se, com efeito, em indiv√≠duos dotados de intelig√™ncia e de instru√ß√£o equivalentes. Disso se convencer√° quem percorrer as respostas aos grandes inqu√©ritos colectivos destinados a elucidar certas quest√Ķes bem definidas.
Entre os in√ļmeros exemplos fornecidos pela leitura das suas actas, mencionarei apenas um, muito t√≠pico, publicado nos Anais de Psicologia do sr. Binet. Querendo informar-se quanto aos efeitos da redu√ß√£o do programa de hist√≥ria da filosofia nos liceus, enviou um question√°rio a todos os professores incumbidos desse ensino. As respostas foram nitidamente contradit√≥rias, pois uns declaravam desastroso o que os outros julgavam excelente. ¬ęN√£o se compreende¬Ľ, conclui o Sr. Binet com melancolia, ¬ęque uma reforma que consterna um professor, pare√ßa excelente a um dos seus colegas. Que li√ß√£o para eles sobre a relatividade das opini√Ķes humanas, mesmo entre pessoas competentes!¬Ľ.
Contradi√ß√Ķes da mesma esp√©cie invariavelmente se manifestaram em todos os assuntos e em todos os tempos. Para chegar √† ac√ß√£o, o homem teve, entretanto, de escolher entre essas opini√Ķes contr√°rias. Como operar tal escolha, sendo a raz√£o muito fraca para a determinar?
Somente dois m√©todos foram descobertos at√© hoje: aceitar a opini√£o da maioria ou a de um √ļnico, escolhido como mestre. Desses dois m√©todos decorrem todos os regimes pol√≠ticos.
Poucos votos de maioria, ou mesmo uma maioria consider√°vel, obtida por uma opini√£o, n√£o a tornar√°, certamente, superior √† opini√£o contr√°ria. Um ju√≠zo isolado, imposto obrigatoriamente, n√£o ser√° tamb√©m sempre o melhor. A escolha de um ou outro m√©todo √©, contudo, necess√°ria para sairmos das indecis√Ķes que s√£o contr√°rias √† verdade de agir. Os pr√≥prios fil√≥sofos n√£o t√™m conseguido descobrir outro processo.
As opini√Ķes de um esp√≠rito eminente s√£o, em geral, muito superiores ao ju√≠zo de uma colectividade, mas, se o esp√≠rito n√£o for eminente, as suas decis√Ķes poder√£o ser muito perigosas. A hist√≥ria da Alemanha e a da Fran√ßa nestes √ļltimos cinq√ľenta anos fornece numerosas provas das vantagens inconvenientes destes dois m√©todos: a tirania individual e a tirania colectiva.